Page 5 - em|FOCO REUMATOLOGIA
P. 5

PRÁTICA CLÍNICA 5

                                       O panorama nacional
                                       na artrite reumatoide
                                       e perspetivas futuras

                                                                                                                  Helena Canhão

A artrite reumatoide (AR) é a          na fisiopatologia da AR. Existem     também a associação combinada         incapacidade (HAQ médio de 0,98)
doença articular inflamatória          neste momento, já disponíveis        de fármacos sintéticos).              e diminuição da qualidade de vida
crónica mais frequente e mais          no mercado, fármacos que             A eficácia dos fármacos disponíveis   (EQ5D médio de 0,57). De notar
incapacitante. Recentemente,           funcionam como antagonistas ou       torna ainda mais crucial a            que apenas 43% dos doentes
o estudo epidemiológico das            bloqueadores destas moléculas        relevância de um diagnóstico          estava a ser seguido por um
doenças reumáticas em Portugal,        ou da sua função e que se têm        precoce e de um tratamento            reumatologista e 38% dos casos
EpiReumaPt, mostrou que a              revelado muito úteis no controlo da  adequado, iniciado no mais            foram diagnosticados de novo,
prevalência desta doença é de          inflamação, paragem de progressão    curto espaço de tempo. Assim,         durante o estudo. Este facto revela
0,7% - 1,1% nas mulheres e 0,3%        da lesão estrutural, melhoria da     a referenciação e o seguimento        o subdiagnóstico de AR existente
nos homens – ou seja, que existem      função e da qualidade de vida.       destes doentes por especialistas      no nosso país.
mais de 63 mil doentes com AR          Ao mesmo tempo que surgiram          em reumatologia é essencial. No       A perspetiva é que no futuro o
em Portugal. No mesmo estudo,          estes novos medicamentos,            mesmo inquérito – EpiReumaPt –,       panorama do subdiagnóstico e mau
esta doença associou-se a maior        aumentou o conhecimento e            realizado a 10.661 indivíduos no      prognóstico destes doentes vai
incapacidade e a perda da qualidade    a otimização da utilização dos       continente e ilhas da Madeira e       melhorar. Não restam dúvidas que
de vida, quer comparada com a          fármacos sintéticos já existentes,   dos Açores, verificámos que uma       cada vez teremos melhores armas
população portuguesa, quer por         quer através do aumento da dose      parte importante dos doentes          para o diagnóstico e tratamento
comparação com doentes com             do metotrexato (que é o fármaco      reumatoides apresenta atividade       destes doentes. Com a atualização
outras doenças reumáticas. Traduz-     âncora no tratamento da AR),         da doença (DAS28 médio de 4,07),      da rede de referenciação hospitalar
se também em aumento das               quer através de um bom uso da        com uma média de 7,3 articulações     de reumatologia, esperamos
comorbilidades e da mortalidade.       associação de fármacos (não          dolorosas e 4,2 articulações          ter no futuro um maior número
Nos últimos anos, registaram-          só sintéticos e biológicos, mas      tumefactas, apresentando também       e uma melhor distribuição dos
se avanços importantes no                                                                                         reumatologistas no território
diagnóstico e sobretudo na                                     EpiReumaPt                                         nacional, de maneira a que estes
terapêutica destes doentes.                                                                                       especialistas possam chegar a
Surgiram novos anticorpos como         O Prof. Doutor Jaime Branco e a Prof.ª Doutora Helena Canhão foram         todos os doentes reumatoides,
os antipeptidos citrulinados (ACPA     os coordenadores do primeiro estudo epidemiológico nacional de larga       aumentando a taxa de diagnóstico
ou antiCCP), mais específicos desta    escala sobre as doenças reumáticas (DR). Ao longo de 27 meses de           e o sucesso da terapêutica,
patologia, a ecografia articular com   trabalho no terreno, 190 entrevistadores recrutaram 10.661 portugueses     contribuindo para o bem-estar dos
doppler, que permite determinar        em 366 localidades do país – incluindo as regiões autónomas da             doentes reumáticos em geral e dos
de forma simples e não invasiva a      Madeira e dos Açores – com o objetivo de conhecer a prevalência            reumatoides em particular.
existência de sinovite subclínica, e   correta das DR em Portugal. Apresentadas a 22 de setembro de 2014,
a ressonância magnética, utilizada     as principais conclusões do EpiReumaPt:                                                  Helena Canhão
em casos selecionados.
O maior conhecimento das vias          •	 A prevalência da DR é de 56%;                                                         Reumatologista do
fisiopatológicas da doença permitiu    •	 22% já se encontravam diagnosticadas antes da realização do estudo;                   Hospital de Santa
a identificação de novos alvos         •	 a lombalgia é a DR com maior prevalência: 26,4%;                                      Maria, professora
terapêuticos e o desenvolvimento       •	 os doentes com artrite reumatoide (AR) referem pior qualidade de vida;                na Faculdade de
de moléculas dirigidas. O fator de     •	 os doentes reumáticos são os doentes crónicos que reportam pior                       Medicina de Lisboa
necrose tumoral (TNF), interleucina                                                                                             e co-investigadora
(IL) 1, IL6, IL17, IL12/23, moléculas     qualidade de vida;                                                                    EpiReuma
intracelulares sinalizadoras,          •	 os doentes reumáticos têm mais internamentos hospitalares – 11,3%
células B e proteínas importantes
na apresentação do antigénio,             revelou ter estado internado nos últimos 12 meses, face a 5,50% de
têm-se revelado fundamentais              indivíduos sem DR.

                                                                                                                  JORNAL MÉDICO – em | FOCO REUMATOLOGIA
   1   2   3   4   5   6   7   8   9   10