Page 5 - em|FOCO GERIATRIA
P. 5

ENTREVISTA 5

forte numa visão global especialmen-    nem o número, nem o tempo, das al-        viços de Medicina Interna dos grandes   Na medida em que a esmagadora
te centrada nos cuidados de saúde       tas dadas nos moldes actuais.             hospitais do país. A grande finalidade  maioria (mais de 80%) dos doentes
primários, mas também nos hospi-                                                  da implementação destas unidades        internados podem ser considerados
tais, com base em grandes serviços      Quais são os modelos de referência        é não só o de serem um espaço de        doentes geriátricos… sim. Porém, são
de Medicina Interna e com a criação     para a implementação da Geriatria         tratamento optimizado dos doentes       doentes que estão a ser tratados nos
e desenvolvimento de unidades de        em Portugal?                              idosos geriátricos, mas também po-      moldes habituais, e que acabam por
Geriatria no seu seio. As restantes     Essencialmente, o modelo espanhol.        los de formação prática/estágio para    não beneficiar das especificidades
especialidades terão que ser cada       Embora tenha sido no Reino Unido          os médicos, enfermeiros e outros        da Geriatria enquanto prática médica.
vez mais canalizadas para a reali-      que a Geriatria “nasceu” e se desen-      profissionais de saúde, como assis-     Passo a exemplificar: um doente idoso
zação de técnicas de alta diferencia-   volveu de forma pioneira, há muitos       tentes sociais, interessados em tra-    que fica imobilizado tem que começar
ção. Esta é a minha visão para a or-    anos que está enraizada no Canadá         balhar no âmbito desta competência.     a ser reabilitado, em termos de mobi-
ganização do sistema de saúde num       e nos Estados Unidos da América e                                                 lidade, o mais rapidamente possível.
futuro próximo.                         também na maior parte dos países          Em época de escassos recursos           Essa intervenção, sendo mais pre-
                                        europeus, designadamente em Es-           financeiros, com cortes na saúde        mente num idoso, do que num adulto
Quais identifica como sendo os          panha, onde as unidades de Geriatria      e em outros sectores fundamen-          jovem na mesma situação, na medida
grandes desafios em termos de saú-      funcionam autonomamente ou inseri-        tais, será difícil passar esse mo-      em que o prognóstico deste último
de da nossa população idosa?            das nos serviços de Medicina Interna.     delo do papel para a sua concreti-      será à partida mais favorável, nem
A resposta aos problemas das pes-       Sou defensor acérrimo de que todos        zação na prática?                       sempre é feita com a precocidade e
soas idosas não está apenas na          os profissionais de saúde que lidam       Não será assim tão difícil, porque a    regularidade desejáveis.
saúde… está também e sobretudo          com idosos devem saber de Geriatria.      Geriatria não implica grandes inves-
no envolvimento social. O que ocorre                                              timentos, por exemplo em tecnologia     E essa é uma situação que acaba
muitas vezes nos hospitais é termos     É essa certeza que justifica o seu        de ponta. Penso que é essencialmen-     por reflectir-se em custos indirectos
doentes que até são bem tratados no     envolvimento no processo de insta-        te uma questão de visão e de organi-    acrescidos, nomeadamente em taxas
que diz respeito à sua doença aguda,    lação da competência de Geriatria         zação. Tenho a certeza que, a médio     de reinternamento…
mas que quando chega a hora de          junto da Ordem dos Médicos (OM)?          prazo, o investimento em unidades       Evidentemente! Ao não receberem
irem para casa, a família diz qua não   A aprovação da competência de Ge-         de Geriatria dentro dos moldes suge-    os cuidados que necessitam, estes
tem condições de os receber, ou os      riatria pela OM decorre precisamente      ridos trará benefícios para doentes e   doentes acabam por ter que voltar ao
próprios viviam sozinhos e agora já     da necessidade de termos em Portu-        profissionais, e para o próprio siste-  sistema de saúde, consumindo novos
não têm condições para tal, nem têm     gal profissionais diferenciados nesta     ma, no que diz respeito aos custos.     recursos (humanos e materiais) e ge-
dinheiro para pagar um lar… Os cui-     área. Este processo foi formalizado                                               rando mais despesa.
dados continuados também não dão        em 2014, e a partir de agora vão co-      Não havendo ainda esses polos de        Porque não é só a esperança média de
resposta em tempo útil a estes casos.   meçar a ser definidos os critérios de     formação, onde é que os profissio-      vida à nascença que dita o grau de de-
Como tal, podemos dizer que os gran-    atribuição da certificação nesta com-     nais interessados em Geriatria po-      senvolvimento de um país, mas tam-
des desafios da população idosa por-    petência, no plano do exercício clínico,  dem praticar esta competência?          bém a sua capacidade de “dar mais
tuguesa são essencialmente de cariz     mas também da formação.                   Há cada vez mais profissionais mé-      (qualidade de) vida aos últimos anos”
social, embora alguns também pas-                                                 dicos interessados nesta área em        da sua população.
sem pela saúde. Ambas as respostas      A principal pecha da Geriatria em         Portugal. Os que têm a possibilidade
– de saúde e social – têm que estar     Portugal prende-se com a actual           deslocam-se ao estrangeiro para a                     Manuel Teixeira
bem articuladas.                        lacuna no que diz respeito à forma-       realização de estágios que não exis-                  Veríssimo é
                                        ção prática?                              tem em Portugal, por falta de locais                  especialista
Face à realidade que descreve, como     Sem dúvida. Posso dizer que a nível       para tal. Há alguns colegas aqui do                   de Medicina
comenta as recentes recomenda-          europeu os poucos países onde ainda       serviço de Medicina Interna do CHUC                   Interna no Centro
ções da tutela liderada por Paulo       não existe diferenciação em Geriatria     que estiveram a estagiar em Espanha                   Hospitalar e
Macedo aos médicos – formalizadas       são a Grécia, a Áustria e alguns paí-     e no Reino Unido na área da Geriatria.                Universitário de
no início deste ano – no sentido de     ses do Leste, sendo que Portugal já       Para além disso, a SPMI tem procu-                    Coimbra (CHUC).
“darem altas hospitalares aos fins-     reconheceu esta competência, com a        rado fazer cursos de formação, ain-
-de-semana”, por forma a “libertar      formação teórica (pré e pós-gradua-       da que se revelem manifestamen-                       Professor da
camas e reduzir tempos de espera”?      da) mais ou menos formalizada, mas        te insuficientes. E há ainda algum                    Faculdade de
São intenções/declarações de quem       sem locais para formação prática          ensino pós-graduado em várias                         Medicina da
não conhece o terreno. O acto de dar    destes profissionais.                     universidades: eu próprio coordeno                    Universidade de
alta pressupõe que o doente tenha                                                 o mestrado de Geriatria da Faculda-                   Coimbra (FMUC).
condições para tal, quer de saúde,      Qual seria o modelo ideal para o de-      de de Medicina da Universidade de
quer de envolvimento social. Embora     senvolvimento de unidades de Geria-       Coimbra (FMUC), que tem sido bas-                     Presidente
teoricamente não demos altas aos        tria em Portugal?                         tante participado.                                    da Sociedade
fins-de-semana, o que fazemos é         Conhecendo bem a realidade por-                                                                 Portuguesa de
prever as altas contando com esses      tuguesa, penso que o modelo ideal         Pode dizer-se que o serviço de Medi-                  Medicina Interna
dias. O facto de passarmos a dar altas  seria a criação e desenvolvimento de      cina Interna do CHUC já pratica, ainda                (SPMI).
aos fins-de-semana não influenciaria    unidades de Geriatria dentro dos ser-     que de forma informal, a Geriatria?

                                                                                                                          JORNAL MÉDICO – em | FOCO GERIATRIA
   1   2   3   4   5   6   7   8   9   10