Disponível novo tratamento de longo prazo para miomas uterinos
DATA
27/10/2021 11:24:27
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS




Disponível novo tratamento de longo prazo para miomas uterinos

Entrou ontem no mercado português um novo medicamento da Gedeon Richter para o tratamento de sintomas moderados a graves de miomas uterinos em mulheres adultas em idade reprodutiva. Esta terapêutica e o seu impacto na saúde da mulher foi apresentada à comunidade médica de Lisboa, no evento da companhia, que contou com a moderação do diretor do serviço de Ginecologia-Obstetrícia do Hospital Beatriz Ângelo, Carlos Veríssimo.

A apresentação em Lisboa do novo medicamento, denominado Ryeqo®, aconteceu no Pestana Palace Lisboa, contando com as palestras do convidado internacional Jacques Donnez e da coordenadora da Unidade de Ginecologia e Obstetrícia do Hospital Lusíadas Lisboa, Fátima Faustino, que abordaram a nova classe terapêutica de antagonistas orais da GnRH e a terapêutica inovadora no tratamento médico dos miomas uterinos sintomáticos, respetivamente.

O fármaco apresentado trata-se de uma tripla combinação (relugolix 40 mg, estradiol 1 mg e acetato de noretisterona 0,5 mg) sem limitação quanto à duração do uso, pelo que, como anunciou a companhia, é o primeiro e único tratamento de longo prazo uma vez ao dia para miomas uterinos na Europa, comprovado pelos dados de segurança e eficácia do programa LIBERTY de Fase 3.   

À margem da sessão, em declarações ao Jornal Médico, Carlos Veríssimo indicou que a idade mais frequente de aparecimento de miomas uterinos é na idade fértil — entre os 25 e os 50 anos — acrescentando que além do caráter hereditário, “a raça negra tem uma preponderância muito mais elevada”. 

Apesar dos miomas serem benignos, o especialista alertou para os sintomas a ter em atenção: hemorragias abundantes, perdas de sangue entre os ciclos, dismenorreia, aumento do volume do abdómen e possíveis situações de anemia, consequência das perdas de sangue. Sendo por isso de destacar que Ryeqo® possibilita a paragem da hemorragia menstrual em mais de 70% das mulheres.

A presença de miomas uterinos tem ainda uma relação muito grande com a infertilidade, uma vez que “os chamados miomas submucosos ou intramurais com componente submucoso podem distorcer a cavidade ou ocupar a cavidade”, diminuindo o “espaço de implantação do embrião”, esclareceu.

Veja a galeria de imagens.

 

Governação Clínica
Editorial | Joana Romeira Torres
Governação Clínica

O Serviço Nacional de Saúde em Portugal foi criado e cresceu numa matriz de gestão napoleónica, baseada numa forte regulamentação, hierarquização e subordinação ao poder executivo, tendo como objeto leis e regulamentos para reger a atividade de serviços públicos no geral, existindo ausência de regulamentação relativa à sua articulação com os serviços sociais e económicos.

Mais lidas