ARS do Algarve espera reabrir extensão de saúde do Azinhal até dezembro
DATA
09/09/2016 10:57:55
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS


ARS do Algarve espera reabrir extensão de saúde do Azinhal até dezembro

232b9b9a21fd4a284fb72cc771870f40

A extensão de saúde do Azinhal, no concelho de Castro Marim, deverá reabrir antes do fim do ano, quando a Unidade de Saúde Familiar local começar a funcionar, disse o presidente da Administração Regional de Saúde (ARS) do Algarve.

A afirmação foi avançada pelo Presidente da Administração Regional da Saúde (ARS) do Algarve, João Moura Reis, que explicou em entrevista à Agência Lusa que a reabertura daquela extensão de saúde da freguesia faz parte de um compromisso estabelecido entre a ARS e o Presidente da Câmara de Castro Marim, Francisco Amaral, no âmbito das medidas de acompanhamento e avaliação adotadas após o encerramento da unidade, em 2013, e “será feita em simultâneo com a constituição da Unidade de Saúde Familiar (USF) de Castro Marim”.

“Posso afirmar que a extensão do Azinhal será reaberta muito antes do fim do ano”, respondeu o presidente da ARS, ao ser questionado acerca de quando a unidade voltaria a funcionar.

O presidente da Câmara de Castro Marim, Francisco Amaral, já havia anunciado previamente a reabertura “em breve” da extensão de saúde da freguesia do Azinhal, após concluir as obras para eliminar os condicionalismos que tinham levado ao seu encerramento.

Francisco Amaral considerou que a Câmara fez a sua parte ao investir um total de 30.000 euros no edifício da extensão de saúde do Azinhal para “informatizar e modernizar o espaço, mas também criar acessos para pessoas com mobilidade reduzida”, e aguarda agora que a Administração Regional de Saúde (ARS) do Algarve e o Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) do sotavento “cumpram o compromisso estabelecido para reabrir a unidade” na serra algarvia.

“Reunimo-nos na sexta feira com o presidente da ARS e com a direção do ACES e, como são pessoas de bem, estou convencidíssimo de que irão cumprir aquilo com que se comprometeram com a Câmara Municipal e reabrir a extensão de saúde, agora que estão concluídas as obras de reabilitação”, afirmou o autarca em declarações à Agência Lusa.

Questionado sobre quando a reabertura poderia ocorrer, Francisco Amaral não concretizou uma data, mas adiantou que falta o ACES “operacionalizar a deslocação de um médico, um enfermeiro e um administrativo, duas tardes por semana, para a extensão poder ser reaberta”.

“Estou convencido de que não faltará muito tempo para a unidade do Azinhal voltar a funcionar”, afirmou ainda o autarca, médico de profissão, referindo-se a uma extensão de saúde que serve uma freguesia com meio milhar de habitantes e uma população dispersa por pequenos monte e núcleos habitacionais.

Francisco Amaral considerou que a extensão de saúde vai voltar a servir “uma população envelhecida, com muita dificuldade de mobilidade e em fazer as deslocações até ao centro de saúde, pelo que faz mais sentido serem os profissionais a irem até à aldeia do que serem os utentes a deslocar-se à sede de concelho” para serem assistidos.

João Moura Reis avançou ainda que, concluídas as intervenções realizadas pelo município, “a ARS tem que pôr em funcionamento no local o sistema informático de saúde” e depois, quando a USF abrir, será também reaberta a extensão, “muito antes do fim do ano”.

O novo normal e a nova realidade – que alterações provocadas pela pandemia vieram para ficar?
Editorial | Jornal Médico
O novo normal e a nova realidade – que alterações provocadas pela pandemia vieram para ficar?
Acertar procedimentos e aperfeiçoar métodos de trabalho. Encontrar uma nova visão e adotar uma nova estratégia útil na nossa prática clínica quotidiana. Valorizar as unidades de saúde por estarem a dar as respostas adequadas e seguras é o mínimo que se exige, mas é urgente e inevitável um plano de investimento nos centros de saúde do Serviço Nacional de Saúde.

Mais lidas