Lucro da Luz Saúde sobe 13% até setembro para 16M€
DATA
11/11/2015 14:00:48
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS


Lucro da Luz Saúde sobe 13% até setembro para 16M€

a man rising coins
O lucro da Luz Saúde subiu 12,8% até setembro, face a igual período do ano passado, para 16 milhões de euros, anunciou ontem a empresa.

Em comunicado enviado à Comissão de Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a Luz Saúde adianta que os rendimentos operacionais nos primeiros nove meses avançaram 5,5% para 314,3 milhões de euros, "impulsionados pelo crescimento da atividade do segmento de cuidados de saúde privados (+6,9%) e do Hospital Beatriz Ângelo no segmento de cuidados de saúde públicos (crescimento de 1,9%)".

O resultado antes de impostos, juros, amortizações e depreciações (EBITDA) aumentou 5,7% para 46,3 milhões de euros.

"Este desempenho reflete a manutenção dos níveis de rentabilidade no segmento privado e uma redução da margem EBITDA no segmento público, consequência do ajustamento realizado na metodologia de contabilização utilizada nos rendimentos operacionais", adianta.

No período em análise, o investimento total foi de 8,8 milhões de euros, dos quais 4,1 milhões de euros representa investimento de expansão de capacidade, nomeadamente, no Hospital da Luz (finalização das obras de expansão do parque de estacionamento e projetos de arquitetura para a expansão do hospital) e da Clínica de Oeiras (segundo pagamento relativo à aquisição do terreno para construção da área de expansão)".

A dívida líquida consolidada da Luz Saúde ascendeu a 181,1 milhões de euros, o que representou uma redução de 24,9 milhões de euros face ao valor final de 2014, devido essencialmente à geração de fluxos de caixa operacionais das diversas unidades do grupo, combinada com uma melhoria dos níveis de fundo de maneio.

Luza/Jornal Médico

Urgências no SNS – só empurrar o problema não o resolve
Editorial | Gil Correia
Urgências no SNS – só empurrar o problema não o resolve

É quase esquizofrénico no mesmo mês em que se discute a carência de Médicos de Família no SNS empurrar, por decreto, os doentes que recorrem aos Serviços de Urgência (SU) hospitalares para os Centros de Saúde. A resolução do problema das urgências em Portugal passa necessariamente pelo repensar do sistema, do acesso e de formas inteligentes e eficientes de garantir os cuidados na medida e tempo de quem deles necessita. Os Cuidados de Saúde Primários têm aqui, naturalmente, um papel fundamental.