I Jornadas de Urologia da Clínica CUF Almada: Urgências urológicas sob visão multidisciplinar
DATA
30/10/2019 15:44:54
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS


I Jornadas de Urologia da Clínica CUF Almada: Urgências urológicas sob visão multidisciplinar

As I Jornadas de Urologia da Clínica CUF Almada, organizadas pela CUF Academic and Research Medical Center, vão decorrer no próximo dia 23 de novembro, no Campus Universitário Egas Moniz. O evento irá focar-se no contexto de urgências urológicas e é dirigido a todos os profissionais de saúde interessados no tema. Para saber mais acerca das expetativas e dos objetivos desta primeira edição, o Jornal Médico entrevistou o coordenador do evento e de Urologia da Clínica CUF Almada, Miguel Carvalho.

Jornal Médico (JM) | O evento incide sobre o contexto de urgência. O que motivou essa escolha?

Miguel Carvalho (MC) | Quando falamos de urgências em Urologia parece que há poucos aspetos a debater, mas a verdade é que as urgências urológicas são muito diversificadas. Abrangem múltiplos órgãos, de múltiplos sistemas e vão de situações cuja resolução é simples até situações que podem pôr em risco a vida.

Apesar de serem situações muito específicas da Urologia, sentimos a necessidade de partilhar conhecimentos diferenciados desta área, sobretudo com os outros especialistas médicos que estão no atendimento permanente – os colegas da Medicina Geral e Familiar e da Medicina Interna –, que são os primeiros a abordar estes doentes em contexto de urgência.

É fundamental, para o sucesso e para o prognóstico destes doentes, que a identificação da situação clínica, a marcha de diagnóstico e a seleção correta e atempada dos meios complementares – quer analíticos, quer de imagem – seja clara desde o início. É ainda crucial diferenciar as situações que carecem de uma abordagem mais específica por parte do urologista, das que muitas vezes conseguem ser resolvidas de forma relativamente célere e simples por esses mesmos intervenientes.

Nesta perspetiva multidisciplinar, as urgências urológicas, sendo importantes e frequentes e podendo acarretar risco de complicações e mesmo de vida, necessitam de uma abordagem formativa e informativa, daí termos elegido este tema.

Para além disso, como a unidade de Almada abriu recentemente a sua urgência para um atendimento permanente de 24h, também sentimos que era necessário dar suporte e complementar do ponto de vista científico a abordagem prática destas situações.

JM | Quais são as expetativas em relação ao evento?

MC | São as primeiras Jornadas de Urologia da unidade CUF em Almada. Sendo o nosso primeiro evento da unidade de Urologia e esta uma especialidade extremamente importante na realidade clínica atual, depositamos muitas expetativas no tema das “urgências urológicas” como um assunto pelo qual as pessoas sintam interesse e ao qual correspondam ao participarem. Portanto, as expetativas são muito altas.

JM | Quais são os principais objetivos destas jornadas?

MC | O objetivo deste evento científico é essencialmente formativo e informativo. Pretendemos que também seja aglutinador, sobretudo para conseguir transmitir esta visão e perspetiva multidisciplinar – que hoje é a que deve imperar em todos os sistemas de saúde –, do trabalho em equipa na abordagem do doente e não da doença. O programa científico contém uma abordagem teórica, mas nada se consegue materializar de uma forma mais concreta – os conhecimentos não se conseguem sedimentar, nem serem direcionados – se não houver discussão de casos clínicos para transformarmos o muito que é o conhecimento teórico naquilo que é a nossa prática clínica. E nada melhor do que apresentar casos clínicos para exemplificar e, no fundo, aplicar os conhecimentos que durante o dia se esperam adquirir. Como tal, o objetivo é fomentar, agregar e enriquecer essa multidisciplinaridade.

JM | Destacaria algum tema?

MC | É muito difícil selecionar um tema em específico, na medida em que no contexto de urgência todos os temas são importantes. Porém, diria que as urgências relacionadas com a patologia infeciosa, a uropatia obstrutiva e as hematúrias são importantes, quer pela sua incidência, quer pela sua prevalência.

De todas as urgências urológicas, aquelas com que nos deparamos realmente no dia a dia são as urgências relacionadas com a uropatia obstrutiva, ou alta ou baixa, a cólica renal, ou a retenção urinária aguda. Essas situações, nomeadamente a uropatia obstrutiva alta, pode acompanhar-se de situações de infeção sistémica, que podem evoluir eventualmente para quadros clínicos de grande gravidade, pelo que se impõe um enquadramento correto e uma conduta adequada, célere e diligente para a sua resolução. O escroto agudo merece também uma abordagem isolada neste evento, dado ser necessário efetuar o diagnóstico diferencial entre a torsão do cordão espermático e as situações infeciosas mais comuns.

Para se inscrever ou obter informações adicionais consulte o link: 

https://academiacuf.up.events/activities/view/2665.

2020: Linhas de provocação de uma nova década com novas obrigações para novos contextos
Editorial | Rui Nogueira
2020: Linhas de provocação de uma nova década com novas obrigações para novos contextos

Este ano está quase a terminar e uma nova década vai chegar. O habitual?! Veremos! Na saúde temos uma viragem em curso e tal como há 40 anos, quando foi fundado o Serviço Nacional de Saúde (SNS), há novos enquadramentos, novas responsabilidades, novas ideias e novas soluções.

Mais lidas