José Manuel Boavida: Portugal acolhe Congresso Mundial da IDF com o intuito de “moldar o futuro da diabetes”
DATA
02/12/2022 10:32:18
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS




José Manuel Boavida: Portugal acolhe Congresso Mundial da IDF com o intuito de “moldar o futuro da diabetes”

A Associação Protectora dos Diabéticos de Portugal (APDP) é uma das organizações parceiras do maior evento global sobre diabetes, o Congresso Mundial da Diabetes da Federação Internacional da Diabetes (IDF). Este ano, o encontro, que se realiza de dois em dois anos em diferentes países, vai ser em Portugal, no Centro de Congressos de Lisboa e online. Decorre entre 5 e 8 de dezembro e junta cerca de quatro mil especialistas nacionais e internacionais.

“É com muito orgulho que este ano Portugal acolhe este evento tão relevante para a discussão do futuro da diabetes. É importante continuarmos a unir esforços para conseguirmos moldar da melhor forma o futuro da diabetes no mundo, através da partilha de experiências e conhecimento entre especialistas com diferentes perspetivas e realidades”, afirma José Manuel Boavida, presidente da APDP.

O Congresso da IDF traz a Portugal 126 horas de sessões científicas, 200 palestrantes, profissionais de saúde de mais de 160 países e 240 associações membro da IDF.

A APDP far-se-á representar em seis das sessões científicas do programa. José Manuel Boavida irá participar na sessão que aborda a forma “Como as associações membros podem influenciar melhor os legisladores”. João Filipe Raposo, diretor clínico da APDP, foca o tema “Vislumbrando o futuro do controlo da diabetes” e aborda a “Diabetes na perspetiva dos cuidados integrados”, na sessão “Integrar valor por meio da prestação de cuidados inovadores a doentes T2”; Ana Cristina Paiva, especializada em diabetes, aborda “A experiência europeia na certificação de educadores em diabetes”, que se insere no tema “Qualificações e certificações de educadores em diabetes no seu país”;

Contará ainda com os contributos de Bruno Almeida, diabetologista da APDP, introduz a sessão “A pandemia global de diabetes exige novas formas de impulsionar o acesso à inovação e ao atendimento personalizado”; Rita Birne, nefrologista da APDP, aborda o uso da “Finerenone na prática clínica: Abordagens para otimizar a experiência do doente”, na sessão “ARMs não esteroides em DRC e DM2: conhecimento atual e insights práticos” e Alexandra Costa, coordenadora do Núcleo Jovem APDP (NJA), fala sobre “Crises financeiras, envelhecimento da população e famílias unidas - a cultura portuguesa é favorável às pessoas com diabetes?”, que se insere na sessão “Compreendendo as experiências com a diabetes através das lentes da cultura”.

Vão ser ainda apresentados 14 pósteres por especialistas da APDP. Abordam a relação entre a diabetes e as várias patologias, como o fígado gordo, o pé diabético e problemas de visão, ou outros fatores condicionantes, como crises financeiras, necessidades educacionais, literacia em saúde e o período pandémico.

Luis Gardete Correia, Presidente da Comissão Organizadora Local do Congresso deixa o repto: “Convidamos todos os que trabalham em diabetes a participar neste evento. Podem inscrever-se contactando a APDP através do email Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.. Os profissionais portugueses terão uma atenção especial no valor da inscrição. Serão todos muito bem-vindos”.

Para mais informações consulte o site oficial em https://idf2022.org/.

É urgente desburocratizar os Cuidados de Saúde Primários
Editorial | Jornal Médico
É urgente desburocratizar os Cuidados de Saúde Primários

Neste momento os CSP encontram-se sobrecarregados de processos burocráticos inúteis, duplicados, desnecessários, que comprometem a relação médico-doente e que retiram tempo para a atividade assistencial.