LPCC e a AICIB entregaram seis bolsas de investigação clínica em Oncologia nos Cuidados de Saúde Primários
DATA
15/07/2022 11:48:24
AUTOR
Jornal Médico
LPCC e a AICIB entregaram seis bolsas de investigação clínica em Oncologia nos Cuidados de Saúde Primários

Já são conhecidos os seis projetos que receberam uma bolsa de investigação clínica em Oncologia nos Cuidados de Saúde Primários, no valor de seis mil euros. As bolsas de investigação clínica em Oncologia nos Cuidados de Saúde Primários, que resultaram de uma iniciativa conjunta da Liga Portuguesa Contra o Cancro (LPCC) e da Agência de Investigação Clínica e Inovação Biomédica (AICIB), foram entregues no dia 5 de julho, durante uma cerimónia oficial, que teve lugar no Auditório do Centro de Saúde de Sete Rios, em Lisboa.

Segundo Catarina Resende Oliveira, presidente da AICIB, estas bolsas de investigação clínica em Oncologia nos Cuidados de Saúde Primários, que este ano foram atribuídas pela primeira vez, têm como “objetivo fundamental a promoção e o incentivo à investigação no âmbito dos Cuidados de Saúde Primários”. “Hoje, mais do que nunca, a investigação nos Cuidados de Saúde Primários deve ser estimulada”, reforça.

Vítor Rodrigues, que assume atualmente o cargo de responsável pela investigação da LPCC, lembra que esta instituição “com 80 anos”, à qual presidiu até dezembro de 2021, tem três objetivos fundamentais: “a prevenção (primária e secundária), o apoio ao doente e ao seu familiar e a formação e investigação”. O responsável indica que “uma das áreas de maior força da LPCC em termos de atividade” é “a intervenção comunitária”. “E estas bolsas de alguma forma respondem a este propósito”, sublinhou Vítor Rodrigues.

Lista de projetos distinguidos com a Bolsa de Investigação Clínica em Oncologia nos CSP

A Liga Portuguesa Contra o Cancro e a Agência de Investigação Clínica e Inovação Biomédica uniram-se com o intuito de “promover a investigação clínica em Oncologia nos Cuidados de Saúde Primários (CSP)”, através da atribuição de bolsas, cada uma no valor de seis mil euros. As bolsas de investigação clínica em Oncologia nos Cuidados de Saúde Primários foram entregues aos seguintes projetos de investigação:

  • O trabalho SumMed: helping patients to understand medical information in the prevention of breast and prostate cancer foi distinguido com uma bolsa de investigação clínica em Oncologia nos Cuidados de Saúde Primários. A investigadora principal deste trabalho é Ana Maria, médica que exerce atividade na Unidade de Cuidados de Saúde Primários de Alcântara, e que está atualmente a terminar o Doutoramento na Faculdade de Ciências Médicas de Lisboa.
  • Uma das bolsas de investigação clínica em Oncologia nos Cuidados de Saúde Primários foi entregue a Joaquim Moura, ACES Oeste Sul, pelo trabalho “Diagnóstico precoce de cancro do pulmão nas pessoas acompanhadas na consulta de cessação tabágica em Torres Vedras e Mafra”.
  • “Keratinocyte cancer prevention at primary healthcare centers in Portugal, de Luis Lapão, do ACES Arco Ribeirinho, Centro Hospitalar Barreiro-Montijo e Universidade Nova de Lisboa, foi outro dos trabalhos que recebeu uma bolsa de investigação clínica em Oncologia nos Cuidados de Saúde Primários.
  • “Melhoramento do diagnóstico de Cancro Colorretal no Litoral Alentejano” foi o trabalho que valeu a Maria Ana Aboim, da Unidade Local de Saúde do Litoral Alentejano (ULSLA), uma bolsa de investigação clínica em Oncologia nos Cuidados de Saúde Primários.
  • A bolsa de investigação clínica em Oncologia nos Cuidados de Saúde Primários foi entregue a Mariana Mira, da USF Samora Correia, ACES-Estuário do Tejo, pelo trabalho “Deteção Precoce do Cancro Cutâneo nos Cuidados de Saúde Primários”.
  • O trabalho “Prevenção do cancro do colo uterino: uma visão integral centrada na mulher” de Paulo Santos, da USF Barão do Corvo, ACES Gaia, foi um dos seis projetos distinguidos com uma bolsa de investigação clínica em Oncologia nos Cuidados de Saúde Primários.
É urgente desburocratizar os Cuidados de Saúde Primários
Editorial | Jornal Médico
É urgente desburocratizar os Cuidados de Saúde Primários

Neste momento os CSP encontram-se sobrecarregados de processos burocráticos inúteis, duplicados, desnecessários, que comprometem a relação médico-doente e que retiram tempo para a atividade assistencial.