Museu da Farmácia recorda pandemias e impacto na ciência
DATA
15/03/2022 11:04:54
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS


Museu da Farmácia recorda pandemias e impacto na ciência

O Museu da Farmácia, em Lisboa, durante os meses de março e abril organiza um ciclo de atividades sobre as pandemias que tem vindo a marcar a História e o impacto destas na sociedade e na ciência.  No dia 21 de março, o Museu junta vários especialista em Saúde, na tertúlia “Desafios da Ciência e dos Profissionais de saúde em tempos de pandemia”.

A começar, no dia 17 de março, às 18h, o Museu organiza uma visita temática que destaca a ligação entre peças do museu e doenças. A entrada tem um custo de 6€ para os adultos e 4€ para estudantes e seniores. Para inscrições clique aqui.

Agendada para o dia 21 de março, às 18h, está a tertúlia “Desafios da Ciência e dos Profissionais de saúde em tempos de pandemia” visa criar um momento de diálogo entre profissionais que estiveram na linha da frente do combate à COVID-19. Entre eles, Armando Alcobia Martins (Diretor dos Serviços Farmacêuticos no Hospital Garcia de Orta), Germano de Sousa (médico patologista clínico), Helena Rebelo de Andrade (Responsável pelo Laboratório de Patogénese dos Vírus influenza e resistência aos Antivirais, Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge) e Ricardo Mexia (médico de saúde pública). As inscrições podem ser feitas aqui.

 Por último, no dia 9 de abril, às 15H00, o auditório do Museu da Farmácia abre portas para uma conferência que pretende resolver a seguinte questão “como pode a ciência e os media contribuir para aumentar a literacia em saúde?”. Esta conferência é organizada em parceria com a equipa da série televisiva documental “A Arte da Cura”. Inscreva-se aqui

“O espólio do Museu da Farmácia permite conhecer melhor diferentes momentos da nossa história e ajudar a compreender momentos atuais. A pandemia tem dominado os últimos anos, mas não é uma novidade dos dias de hoje. Neste momento é importante compreendê-la à luz da história e da atualidade, e o seu impacto na ciência”, esclarece João Neto, Diretor do Museu da Farmácia.

Urgências no SNS – só empurrar o problema não o resolve
Editorial | Gil Correia
Urgências no SNS – só empurrar o problema não o resolve

É quase esquizofrénico no mesmo mês em que se discute a carência de Médicos de Família no SNS empurrar, por decreto, os doentes que recorrem aos Serviços de Urgência (SU) hospitalares para os Centros de Saúde. A resolução do problema das urgências em Portugal passa necessariamente pelo repensar do sistema, do acesso e de formas inteligentes e eficientes de garantir os cuidados na medida e tempo de quem deles necessita. Os Cuidados de Saúde Primários têm aqui, naturalmente, um papel fundamental.