IV Jornadas do NEMPal focadas em refletir a realidade dos cuidados paliativos
DATA
07/03/2022 16:57:35
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS


IV Jornadas do NEMPal focadas em refletir a realidade dos cuidados paliativos

O Núcleo de Estudos de Medicina Paliativa (NEMPal) da Sociedade Portuguesa de Medicina Interna (SPMI), vai realizar as IV Jornadas (NEMPal) no dia 19 de março. O evento, que se realizará na Fundação Dr. António Cupertino de Miranda, no Porto, em formato híbrido, apresenta como principal objetivo a promoção de uma reflexão sobre terapias não convencionais na prestação de cuidados de saúde no que concerne a cuidados paliativos. 

“O objetivo das jornadas é falar-se de terapias não convencionais ou complementares que habitualmente não se abordam nas reuniões científicas médicas, mas que podem ser úteis associadas à terapêutica convencional, nomeadamente nos doentes em cuidados paliativos”, avançou a internista e coordenadora do Núcleo de Estudos de Medicina Paliativa da SPMI, Elga Freire.

Subordinada ao tema, “Terapias Out Of The Box em cuidados paliativos” esta edição debruça-se sobre respostas terapêuticas não farmacológicas e farmacológicas na abordagem clínica ao doente. Mindfullness, Terapia Reconectiva, e Reiki são algumas das técnicas que vão estar em destaque, sendo que se vai realizar ainda um um Simposium sobre o uso terapêutico da canábis.

“Não se trata de novos caminhos, mas sim da integração de todas as terapias, nomeadamente as não farmacológicas que, não prejudicando os doentes, podem ser oferecidas com o objetivo de melhorar a sua qualidade de vida, a dos seus cuidadores e dos profissionais de saúde envolvidos. Muitos dos nossos doentes já ouviram dizer que a Medicina Convencional não tem nada a oferecer”, relevou.

Finalizou referindo que “os cuidados paliativos, sendo cuidados holísticos, têm sempre muito a oferecer utilizando terapias convencionais ou não, com o objetivo de intervir na qualidade de vida. Felizmente, cada vez há mais investigação científica nas áreas de cuidados paliativos e de terapias complementares”.

Para mais informações saiba mais AQUI.

Mulher, autonomia e indicadores – uma história de retrocesso?
Editorial | Jornal Médico
Mulher, autonomia e indicadores – uma história de retrocesso?

O regime remuneratório das USF modelo B há muito que é tema para as mais diversas discussões, parecendo ser unânime a opinião de que necessita de uma revisão, inexistente de forma séria desde a sua implementação.