Tratamento precoce pode conter alergia ao amendoim em crianças pequenas
DATA
21/01/2022 14:30:29
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



Tratamento precoce pode conter alergia ao amendoim em crianças pequenas

Habituar as crianças alérgicas ao amendoim, de forma gradual e precoce, pode ajudar o sistema imunológico destas e superar um problema potencialmente grave e socialmente incapacitante, revelou um estudo norte-americano divulgado.

“Encontrar opções de tratamento seguras e eficazes é crucial para melhorar a qualidade de vida dessas crianças, muitas das quais vão permanecer alérgicas durante toda a vida”, frisou um dos investigadores, da Universidade da Carolina do Norte, Wesley Burks.

De acordo com o estudo, publicado na revista The Lancet, que envolveu crianças entre os 0 e 3 anos, este tratamento de habituação oral, por um período de dois anos e meio, permitiu a “remissão da alergia numa criança de cinco anos”, sendo que seis meses após o final do tratamento de longo prazo, estas crianças conseguiram tolerar uma dose equivalente a 16 amendoins.

Foi demonstrado ainda que para quase três quartos das crianças, o tratamento resultou na dessensibilização, o patamar abaixo da remissão e que estas foram capazes de tolerar a dose correspondente a 16 amendoins, quando esta foi administrada imediatamente após o fim do tratamento.

“As crianças que entraram em remissão pertenciam maioritariamente ao grupo mais jovem, obtendo melhores resultados aquelas com menos de um ano de idade” no início do estudo, destacou outra das investigadoras, da Arkansas University of Medical Sciences, Stacie Jones.

Segundo a cientista, citada no The Lancet, intervir muito cedo oferece uma melhor hipótese de remissão. “No entanto, houve apenas um pequeno número de crianças menores de um ano a participar no estudo, e, por isso, é necessária mais investigação”, acrescentou.

A investigação envolveu 146 crianças entre os 0 e 3 anos, alérgicas ao amendoim, sendo que 96 receberam o tratamento de engolir uma dose diária de proteína de amendoim em pó, equivalente a seis amendoins. Outras 50 crianças receberam um placebo, de aveia, para avaliar a eficácia do tratamento.

Preparados para o Futuro? // Preparar o Futuro
Editorial | Conceição Outeirinho
Preparados para o Futuro? // Preparar o Futuro

O início da segunda década deste século, foram anos de testagem. Prova intensa, e avassaladora aos serviços de saúde e aos seus profissionais, determinada pelo contexto pandémico. As fragilidades do sistema de saúde revelaram-se de modo mais acentuado, mas por outro lado, deu a conhecer o nível de capacidade de resposta, nomeadamente dos seus profissionais.