Teste do Pezinho rastreou pela primeira vez menos de 80 mil bebés em Portugal
DATA
19/01/2022 17:31:49
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS


Teste do Pezinho rastreou pela primeira vez menos de 80 mil bebés em Portugal

O “teste do pezinho” que cobre a quase a totalidade dos nascimentos em Portugal rastreou em 2021 menos de 80 mil bebés, pela primeira vez no País, revelaram os dados divulgados pelo Instituto Nacional de Saúde Ricardo Jorge (INSA).

No ano passado, foram estudados 79.217 recém-nascidos no âmbito do Programa Nacional de Rastreio Neonatal (PNRN), menos 6.239 do que em 2020 (85.456), o valor mais baixo de sempre.

Segundo os dados do INSA, o maior número de bebés rastreados observou-se no distrito de Lisboa (23.494), seguido do Porto (14.736), de Setúbal (5.919) e Braga (5.833).

Os dados indicam ainda que setembro foi o mês que registou o maior número de exames feitos (7.255), enquanto fevereiro foi o que teve menos registos (5.602), sendo que antes deste mínimo registado no ano passado, o número mais baixo tinha sido em 2014 com 83.100 exames realizados no País.

Urgências no SNS – só empurrar o problema não o resolve
Editorial | Gil Correia
Urgências no SNS – só empurrar o problema não o resolve

É quase esquizofrénico no mesmo mês em que se discute a carência de Médicos de Família no SNS empurrar, por decreto, os doentes que recorrem aos Serviços de Urgência (SU) hospitalares para os Centros de Saúde. A resolução do problema das urgências em Portugal passa necessariamente pelo repensar do sistema, do acesso e de formas inteligentes e eficientes de garantir os cuidados na medida e tempo de quem deles necessita. Os Cuidados de Saúde Primários têm aqui, naturalmente, um papel fundamental.