Mortes atribuídas à COVID-19 em 2021 corresponderam a 9,6% do total de óbitos
DATA
17/01/2022 09:51:31
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



Mortes atribuídas à COVID-19 em 2021 corresponderam a 9,6% do total de óbitos

A COVID-19 foi considerada causa de morte de 12.004 pessoas em 2021, o que corresponde a 9,6% dos 125.032 óbitos registados no ano passado, de acordo com dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

No ano de 2021 houve mais 1.353 mortes do que em 2020, um aumento de 1,1% e mais 12.741 do que em 2019, ano anterior à pandemia, representando um aumento de 11,3%, sendo que em 2020 tinham morrido 6.972 pessoas com COVID-19, correspondendo a 5,6% do total de 123.679 óbitos.

Já dezembro de 2021, o número de mortes atribuídas à COVID-19 diminuiu quase 80% em relação ao que se verificou em dezembro de 2020.

No mês passado morreram 518 pessoas com a doença provocada pelo coronavírus (mais do dobro das 222 que morreram nas mesmas condições no mês anterior), contudo muito longe das 2.395 cuja morte foi atribuída à COVID-19 no mês homólogo de 2020, representando uma redução de 78,3%.

Preparados para o Futuro? // Preparar o Futuro
Editorial | Conceição Outeirinho
Preparados para o Futuro? // Preparar o Futuro

O início da segunda década deste século, foram anos de testagem. Prova intensa, e avassaladora aos serviços de saúde e aos seus profissionais, determinada pelo contexto pandémico. As fragilidades do sistema de saúde revelaram-se de modo mais acentuado, mas por outro lado, deu a conhecer o nível de capacidade de resposta, nomeadamente dos seus profissionais.