COVID-19: EMA adverte que grávidas têm mais probabilidade de doença grave que outras mulheres
DATA
12/01/2022 17:22:46
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS




COVID-19: EMA adverte que grávidas têm mais probabilidade de doença grave que outras mulheres

As grávidas têm mais probabilidade de sofrerem de formas graves de COVID-19 que as restantes mulheres, advertiu a Agência Europeia de Medicamentos (EMA), apelando para a sua vacinação “o mais rapidamente possível”.

“As mulheres grávidas têm mais probabilidades de ficarem gravemente doentes devido à COVID-19 quando comparadas com as que não estão grávidas. As que ficam infetadas durante a gravidez também correm maior risco de parto prematuro e natimorto e podem correr maior risco de outras complicações na gravidez”, alertou o chefe da Estratégia de Ameaças Biológicas para a Saúde e Vacinas da EMA, Marco Cavaleri.

Marco Cavaleri vincou ainda que “a vacinação [contra a COVID-19] é a melhor forma de proteger eficazmente tanto a mãe como a criança e deve ser prosseguida o mais rapidamente possível”.

Na ocasião, o especialista aludiu também a estudos sobre a segurança e eficácia durante a gravidez da vacinação, que reuniu mais de 100 mil mulheres, para destacar que “as provas atuais são muito tranquilizadoras e indicam que a vacina reduz o risco de hospitalização ou morte durante a gravidez sem causar complicações na gravidez ou afetar o bebé”.

Preparados para o Futuro? // Preparar o Futuro
Editorial | Conceição Outeirinho
Preparados para o Futuro? // Preparar o Futuro

O início da segunda década deste século, foram anos de testagem. Prova intensa, e avassaladora aos serviços de saúde e aos seus profissionais, determinada pelo contexto pandémico. As fragilidades do sistema de saúde revelaram-se de modo mais acentuado, mas por outro lado, deu a conhecer o nível de capacidade de resposta, nomeadamente dos seus profissionais.