“Dor nas pernas” na origem de plataforma digital dedicada à DVC
DATA
27/07/2021 12:04:55
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS




“Dor nas pernas” na origem de plataforma digital dedicada à DVC

A Servier Portugal lançou uma nova plataforma digital. Chama-se “Dor nas pernas”. E o seu objetivo é informar e esclarecer sobre a Doença Venosa Crónica (DVC), além de aconselhar um estilo de vida que ajude a prevenir e tratar precocemente uma patologia que, em Portugal, afeta cerca de 35% da população adulta, com maior incidência nas mulheres a partir dos 30 anos.

No website está toda a informação relevante sobre a DVC. Também são referidos os primeiros sintomas, muitas vezes considerados normais, como dor, sensação de pernas cansadas e/ou pesadas, comichão, cãibras, bem como situações mais graves de varizes, designadamente edema (pernas inchadas) e alterações da cor da pele.

“As queixas iniciais de DVC (…) impactam diretamente o dia a dia dos doentes, limitando tarefas simples como, por exemplo, pequenas deslocações ou subir escadas. Os doentes devem ir ao médico aos primeiros sintomas”, e “quanto mais cedo for feito o diagnóstico e (…) se começar a tratar a doença, melhor será a sua evolução", explica a médica interna de Medicina Geral e Familiar (MGF) Margarida Santos.

A médica clarifica que "a DVC resulta de uma insuficiência das válvulas nas veias”, quadro que vem dificultar “o retorno venoso. Assim, pode haver uma maior acumulação de líquidos na região das pernas, com consequente aumento de pressão nas veias. Tudo isto pode contribuir para inflamação, inchaço, entre outros sintomas típicos".

Em Portugal, à semelhança de outros países ocidentais, a doença atinge cerca de 35% da população adulta, com maior incidência nas mulheres a partir dos 30 anos.

Na nova plataforma, são descritos os principais fatores de risco associados à doença: idade, género feminino, gravidez, predisposição familiar, obesidade, tabaco, falta de exercício físico e obstipação. E, ainda, como é avaliada a evolução, do ponto de vista clínico, e quais as medidas para prevenir e tratar a doença através de soluções higieno-dietéticas, medicamentos venoativos, cremes ou geles, meias elásticas, escleroterapia, ou, em última análise, cirurgia.

A informação do website e via redes sociais "Dor nas pernas" será atualizada frequentemente.

Investir na Saúde é também investir na Formação
Editorial | Carlos Mestre
Investir na Saúde é também investir na Formação

Em março de 2021 existia em Portugal continental um total de 898.240 pessoas sem Médico de Família (MF) atribuído, ou seja, 8,7% da população não tem um acompanhamento regular com todas as medidas preventivas e curativas inerentes ao papel do especialista em Medicina Geral e Familiar (MGF).

Mais lidas