Estudo revela que 30% dos portugueses com doença grave acusam a pandemia de prejudicar a sua saúde
DATA
11/05/2021 10:49:47
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



Estudo revela que 30% dos portugueses com doença grave acusam a pandemia de prejudicar a sua saúde

Um estudo sociológico sobre a saúde em Portugal revelou que 30% dos portugueses com doença grave acusam a pandemia de prejudicar a sua saúde.

O estudo “A Saúde dos Portugueses: um BI em nome próprio”, que teve como consultora científica a presidente do Conselho Disciplinar da Ordem dos Médicos, Maria do Céu Machado, concluiu que existiu um pior acompanhamento médico de doenças ou problemas durante a pandemia, conforme nota enviada. Um em cada cinco inquiridos admitiu que “reduziu o recurso a médicos por rotina ou prevenção”. 

Apesar de não reconhecer implicações significativas da pandemia no estado de saúde da população, com 69% dos inquiridos a indicar que a pandemia não teve qualquer impacto na sua saúde, o trabalho, realizado no âmbito dos 25 anos da Médis, demonstrou que 28% dos participantes reconheceu algum efeito negativo, sendo que 62% atribui ao ‘sedentarismo’ e 52% à ‘ansiedade’.

Segundo a investigação, 13,5% dos inquiridos reconhece que a pandemia está na base de uma “sensação de descontrolo sobre a sua própria saúde”, acreditando-se que ainda estão por apurar as marcas da Covid-19, ao nível da saúde física e mental.

MGF 2020-30: Desafios e oportunidades
Editorial | Gil Correia
MGF 2020-30: Desafios e oportunidades

Em março de 2020 vivemos a ilusão de que algumas semanas de confinamento nos libertariam para um futuro sem Covid-19. No resto do ano acreditámos que em 2021 a realidade voltaria. Mas, por definição, a crise é uma mudança de paradigma. O normal mudou. Importa que a Medicina Geral e Familiar se adapte e aproveite as oportunidades criadas. A Telemedicina, a desburocratização e um ambiente de informação, amigável flexível e unificado são áreas que me parecem fulcrais na projeção da MGF no futuro.

Mais lidas