Instituto de Medicina Preventiva e Saúde Pública promove formações para profissionais de saúde

O Instituto de Medicina Preventiva e Saúde Pública (IMP & SP) da Faculdade de Medicina de Lisboa (FMUL) está a promover uma pós-graduação e dois workshops à distância, da Unidade de Epidemiologia, destinados a profissionais de saúde.

Segundo comunicado enviado, o curso de pós-graduação “Análise Multifatorial em Epidemiologia”, pretende “transmitir aos discentes os conhecimentos básicos de SPSS e as diferentes técnicas de análise multifactorial de dados mais comummente usados em epidemiologia” e vai decorrer nos dias 16, 18, 23 e 25 de junho 2, 7, 9, 14, 16 e 23 de julho.

No que diz respeito aos workshops, o primeiro vai focar-se na “Epidemiologia e Avaliação Económica em Saúde” e tem os seguintes conteúdos programáticos: princípios básicos em economia da saúde; avaliação económica em saúde – noções gerais; identificação e caracterização do tipo de estudos de avaliação económica; identificação e medição de custos; medidas de resultados; exercício prático de modelação e análise crítica de artigo científico. Realiza-se nos dias 7, 14 21, e 28 de junho.

O workshop “Tópicos Especiais em Epidemiologia”, que irá ocorrer a 5 e 12 de julho, abordará “os aspetos da epidemiologia e da sua relação com outros saberes, através da sistematização teórica, discussão e exemplificação de estudos, envolvendo investigadores de referência nas referidas áreas”.

Estes cursos destinam-se a licenciados em Medicina, Enfermagem, Ciências Farmacêuticas, Ciências Sociais e Humanas, Matemática e Bioestatística, Técnicos Superiores de Saúde, Diagnóstico e Terapêutica, e outros profissionais de saúde interessados em atividades de investigação ou tomada de decisão nas áreas clínicas ou de saúde pública.

É urgente desburocratizar os Cuidados de Saúde Primários
Editorial | Jornal Médico
É urgente desburocratizar os Cuidados de Saúde Primários

Neste momento os CSP encontram-se sobrecarregados de processos burocráticos inúteis, duplicados, desnecessários, que comprometem a relação médico-doente e que retiram tempo para a atividade assistencial.