IGAS audita capacidade de resposta de unidades do SNS em situações de emergência

A Inspeção-Geral das Atividades em Saúde (IGAS) iniciou uma auditoria nos estabelecimentos e serviços do Serviço Nacional de Saúde (SNS) para avaliar o seu nível de preparação e planeamento para responder a situações de emergência imprevistas e de impacto elevado.

A IGAS refere que esta auditoria resulta da necessidade de “minimizar os choques que as situações de emergência causam na oferta de prestação dos cuidados de saúde, assegurados pelas entidades do Serviço Nacional de Saúde”, como noticia a agência Lusa.

Esta “auditoria de desempenho” irá verificar a existência de condições, designadamente manuais de procedimentos, planos de emergência e cumprimento de lei.  

Segundo a IGAS, serão realizadas sete auditorias deste âmbito em entidades hospitalares do setor empresarial do Estado e do setor público administrativo, em 2021.

“Esta ação enquadra-se na estratégia da IGAS para atuar no âmbito da melhoria da gestão das entidades do sistema de saúde e da execução dos programas de políticas na área da saúde”, sublinha.

No comunicado é referido que até ao final de 2022, vão ser auditadas 20% das entidades do setor público empresarial e 40% do setor público administrativo da saúde.

MGF 2020-30: Desafios e oportunidades
Editorial | Gil Correia
MGF 2020-30: Desafios e oportunidades

Em março de 2020 vivemos a ilusão de que algumas semanas de confinamento nos libertariam para um futuro sem Covid-19. No resto do ano acreditámos que em 2021 a realidade voltaria. Mas, por definição, a crise é uma mudança de paradigma. O normal mudou. Importa que a Medicina Geral e Familiar se adapte e aproveite as oportunidades criadas. A Telemedicina, a desburocratização e um ambiente de informação, amigável flexível e unificado são áreas que me parecem fulcrais na projeção da MGF no futuro.

Mais lidas