OMS e APDP alertam para número crescente de mortes prematuras provocadas pela diabetes
DATA
20/04/2021 10:59:05
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



OMS e APDP alertam para número crescente de mortes prematuras provocadas pela diabetes

A Organização Mundial de Saúde (OMS) e a Associação Protetora dos Diabéticos de Portugal (APDP) alertaram para o número crescente de mortes prematuras provocadas pela diabetes e para a necessidade da implementação urgente de medidas de combate a esta doença.

A OMS lançou o “Pacto Global de Combate à Diabetes”, documento que pretende chamar a atenção dos Governos para a criação de medidas de “combate à epidemia da diabetes”, lê-se em comunicado enviado.

A APDP juntou-se à OMS na preocupação relativa à alarmante subida do número de mortes provocadas pela diabetes, que entre 2000 e 2016, registou um aumento de 5%.

“Perante o cenário alarmante que vivemos hoje a nível mundial por causa da diabetes, a APDP subscreve totalmente a visão da OMS para os próximos anos e que passa pela aposta na redução do risco de desenvolver diabetes e por assegurar que todas as pessoas diagnosticadas com diabetes têm acesso a tratamentos e cuidados de qualidade de forma equitativa, universal e acessível”, explica o presidente da APDP, José Manuel Boavida, acrescentando que em Portugal ainda há muito que fazer no que toca à diminuição do risco, ao diagnóstico precoce e aos cuidados ideais junto de toda a população.

A ideia é reforçada pelo diretor clínico da APDP, João Filipe Raposo, que afirma que os objetivos da APDP passam pela proteção das populações, deteção e diagnóstico da diabetes, bem como o tratamento adequado da doença e recuperação de todas as pessoas com diabetes que foram afetadas pelo novo coronavírus.

No documento divulgado no dia 14 de abril, numa reunião coorganizada pela OMS e pelo Governo do Canadá, com o apoio da Universidade de Toronto, a OMS destacou a importância da insulina, a necessidade de fortalecer os sistemas de saúde e o investimento na capacitação dos profissionais de saúde, e a implementação de medidas numa perspetiva colaborativa.

Segundo um relatório da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), em 2019, Portugal era um dos dois países da União Europeia com maior taxa de prevalência de diabetes entre adultos, sendo estimado que esse número seja superior, devido ao número de casos não diagnosticados.

MGF 2020-30: Desafios e oportunidades
Editorial | Gil Correia
MGF 2020-30: Desafios e oportunidades

Em março de 2020 vivemos a ilusão de que algumas semanas de confinamento nos libertariam para um futuro sem Covid-19. No resto do ano acreditámos que em 2021 a realidade voltaria. Mas, por definição, a crise é uma mudança de paradigma. O normal mudou. Importa que a Medicina Geral e Familiar se adapte e aproveite as oportunidades criadas. A Telemedicina, a desburocratização e um ambiente de informação, amigável flexível e unificado são áreas que me parecem fulcrais na projeção da MGF no futuro.

Mais lidas