Covid-19: Portugal pode atingir os 120 casos por 100 mil habitantes dentro de um a dois meses
DATA
19/04/2021 11:17:06
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



Covid-19: Portugal pode atingir os 120 casos por 100 mil habitantes dentro de um a dois meses

A Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou que Portugal pode atingir os 120 casos de Covid-19 por 100 mil habitantes dentro de um a dois meses, tendo em conta a evolução do índice de transmissibilidade (Rt).

“Considerando o valor de Rt atual (média 5 dias), atingir-se-á a linha dos 120 casos por 100.000 habitantes em um a dois meses”, refere o relatório de “monitorização das linhas vermelhas para a Covid-19” da DGS e do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA), conforme noticiou a agência Lusa. 

No relatório divulgado a 10 de abril, os dois organismos estimavam que o período de duplicação da incidência fosse de 86 dias, o que significava que seriam precisos “dois ou mais meses” para atingir essa barreira dos 120 casos. No entanto, o número de infeções pelo vírus SARS-CoV-2 por 100 mil habitantes acumulado nos últimos 14 dias foi de 70 novos casos, com “tendência estável a crescente a nível nacional”.

Atualmente, o valor do Rt apresenta valores superiores a 1 a nível nacional (1,05) e em todas as regiões do continente, à exceção de Lisboa e Vale do Tejo, onde está situado nos o,96.

O índice de transmissibilidade do vírus e a taxa de incidência de novos casos de Covid-19 são os dois critérios definidos pelo Governo para a avaliação contínua que está a ser feita em relação ao processo de desconfinamento.

“A análise global dos diversos indicadores sugere uma situação epidemiológica com transmissão comunitária de moderada intensidade e reduzida pressão nos serviços de saúde. Verificou-se um ligeiro aumento da transmissão nos grupos etários mais jovens, nas quais o risco de evolução desfavorável da doença é menor”, indicam o INSA e a DGS.

Já no que se refere ao número diário de casos de Covid-19 internados em unidades de cuidados intensivos, o relatório refere que se encontra com uma “tendência ligeiramente decrescente a estável”, encontrando-se abaixo do valor crítico definido de 245 camas ocupadas.

“A nível nacional, a proporção de testes positivos para SARS-CoV-2 foi de 1,6%, valor que se mantém abaixo do objetivo definido de 4%”, afirmam a DGS e o INSA, ao avançar que se registou ainda um aumento do número de testes para deteção de SARS-CoV-2 realizados nos últimos sete dias com um total de 277.228.

As entidades asseguraram que nos últimos sete dias, todos os casos de infeção foram isolados em menos de 24 horas após a notificação e foram rastreados e isolados 94,3% dos seus contactos.

O relatório das linhas vermelhas da Covid-19 avança que se estima que, em março, a prevalência de casos de Covid-19 em Portugal da variante associada ao Reino Unido seja de 82,9%.

MGF 2020-30: Desafios e oportunidades
Editorial | Gil Correia
MGF 2020-30: Desafios e oportunidades

Em março de 2020 vivemos a ilusão de que algumas semanas de confinamento nos libertariam para um futuro sem Covid-19. No resto do ano acreditámos que em 2021 a realidade voltaria. Mas, por definição, a crise é uma mudança de paradigma. O normal mudou. Importa que a Medicina Geral e Familiar se adapte e aproveite as oportunidades criadas. A Telemedicina, a desburocratização e um ambiente de informação, amigável flexível e unificado são áreas que me parecem fulcrais na projeção da MGF no futuro.

Mais lidas