250 milhões de euros para novos hospitais e 68 milhões para obras até final de 2022
DATA
19/04/2021 09:45:05
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



250 milhões de euros para novos hospitais e 68 milhões para obras até final de 2022

O Governo prevê investir 250 milhões de euros (M€) em novos hospitais até ao final do próximo ano e 68 milhões em obras em infraestruturas já existentes, segundo o Programa de Estabilidade (PE) para 2021/2025.

De acordo com os dados relativos aos investimentos estruturantes em infraestruturas (em execução ou contratação), o PE prevê um investimento em novos hospitais de 69M€ este ano e 181M€ no próximo, noticia a agência Lusa.

No Orçamento do Estado para 2021 estava contemplada uma despesa de 104,3M€ para a construção de novos hospitais a serem lançados até 2023.

Segundo o PE, para além destas novas unidades estão o Hospital Lisboa Oriental PPP, para o qual estão previstos este ano 10M€ e 73M€ em 2022.

O custo total do projeto é de 470M€, sendo que as verbas contempladas no PE para esta nova unidade incluem o investimento na infraestrutura e equipamento (exclui a execução financeira da PPP).

Em setembro de 2020, o júri do concurso, da responsabilidade da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT), optou pela pré-qualificação de dois concorrentes: a Sacyr Somague e o consórcio Mota-Engil.

Em 2022, o Hospital de Proximidade de Sintra também irá ser lançado, para o qual o PE inscreve uma previsão de 12M€ (inclui equipamento hospitalar), tendo como custo total da obra 75 milhões de euros. A autarquia informou que a adjudicação e o início da construção estavam previstas para o mês de julho. A Câmara de Sintra paga a construção, enquanto o Estado assume a aquisição e instalação de equipamentos, orçamentadas em 22M€.

Outra das novas unidades hospitalares a lançar é o Hospital de Proximidade do Seixal, com um investimento público previsto de 28M€ este ano e um milhão em 2022, verbas que incluem equipamento hospitalar. O custo total do projeto é de 55M€. Este hospital começou a ser criado em 2009, quando o Estado assinou um acordo com a Câmara Municipal do Seixal, chegando a ser lançado um concurso público em janeiro de 2010. No entanto, o processo não avançou nessa altura.

O Hospital Central do Alentejo é outra das novas unidades, na qual o Governo prevê investir 13M€ este ano e 44M€ em 2022 (inclui equipamento hospitalar). No total, o custo deste projeto está estimado em 215M€.

Em relação ao Hospital da Madeira, o total do custo do projeto é de 311M€, sendo que o Governo prevê investir este ano 18M€ e no próximo 51M€ (inclui equipamento hospitalar).

Na UCCI – Rainha D. Leonor o Governo prevê investir este ano 100.000 euros e para a intervenção no IPO de Coimbra estão previstos 11M€ este ano e 15M€ em 2022.

No Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia-Espinho está previsto um investimento de 200.000 euros e no Centro Hospitalar de Setúbal 11M€ este ano e seis milhões de euros em 2022.

O maior investimento este ano vai para o Hospital Pediátrico de S. João, com 24M€. O custo total é de 28M€, mas o restante já foi investido em anos anteriores.

MGF 2020-30: Desafios e oportunidades
Editorial | Gil Correia
MGF 2020-30: Desafios e oportunidades

Em março de 2020 vivemos a ilusão de que algumas semanas de confinamento nos libertariam para um futuro sem Covid-19. No resto do ano acreditámos que em 2021 a realidade voltaria. Mas, por definição, a crise é uma mudança de paradigma. O normal mudou. Importa que a Medicina Geral e Familiar se adapte e aproveite as oportunidades criadas. A Telemedicina, a desburocratização e um ambiente de informação, amigável flexível e unificado são áreas que me parecem fulcrais na projeção da MGF no futuro.

Mais lidas