Novartis e PSOPortugal lançam alerta para a deteção precoce da psoríase
DATA
02/03/2021 09:32:45
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



Novartis e PSOPortugal lançam alerta para a deteção precoce da psoríase

A Novartis e a PSOPortugal- Associação Portuguesa da Psoríase lançam a iniciativa “Psoríase é Mais do que Pele”, que pretende alertar os doentes para a importância da deteção precoce de possíveis manifestações associadas à psoríase nomeadamente artrite psoriática, doenças cardiometabólicas, ansiedade e depressão.

“Esta é uma iniciativa importante que reforça a necessidade de olhar para as pessoas como um todo, alertando-as para os sinais que o corpo nos envia e incentivando-as a procurar o apoio médico integrado que lhes permita tratar a sua psoríase em todas as suas frentes”, refere o presidente da PSOPortugal, Jaime Melancia, em comunicado.

Sublinha ainda que é por isso também que hoje se fala “em psoríase como doença psoriática, um conceito abrangente que inclui todas as outras manifestações que vão muito para além da pele. Esta campanha pretende criar essa consciência junto dos doentes e da sociedade.”

A pandemia de Covid-19 trouxe “desafios acrescidos para a gestão das doenças crónicas, como é o caso da psoríase, na medida em que os doentes podem ter maior dificuldade de acesso a consultas”, devido à atual sobrecarga dos serviços prestadores de cuidados de saúde, ou por receio de procurar apoio médico perante novos sintomas, pelo potencial risco de contágio.

A Novartis e a PSOPortugal juntaram-se para alertar os doentes para os sinais a que devem estar atentos, lembrando a importância de procurar ajuda médica, mesmo em confinamento. “Este alerta é feito na primeira pessoa, com as histórias reais de doentes portugueses que vivem de perto com as manifestações da psoríase, para além da pele”, pode ler-se em nota enviada.

Se os jovens Médicos de Família querem permanecer no SNS e se o SNS precisa deles, o que falta?
Editorial | António Luz Pereira
Se os jovens Médicos de Família querem permanecer no SNS e se o SNS precisa deles, o que falta?

Nestes últimos dias tem sido notícia o número de vagas que ficaram por preencher, o número de jovens Médicos de Família que não escolheram vaga e o número de utentes que vão permanecer sem médico de família. Há três grandes razões para isto acontecer e que carecem de correção urgente para conseguir cativar os jovens Médicos de Família.

Mais lidas