Pfizer abre candidaturas do Programa Global de Bolsas de Investigação 2021
DATA
11/01/2021 16:00:09
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



Pfizer abre candidaturas do Programa Global de Bolsas de Investigação 2021

O processo de candidaturas ao Programa Competitivo de Bolsas de Investigação, no valor de 400 mil dólares, promovido pela Pfizer, já abriu. 

A iniciativa tem como objetivo compreender o risco cardiovascular associado a lipoproteínas ricas em triglicéridos, abrangendo outras áreas de interesse como, as possíveis fontes de risco cardiovascular para além do C-LDL, a investigação básica e clínica relacionada com lipoproteínas ricas em triglicéridos vs triglicéridos séricos na aterosclerose e risco cardiovascular, e a incorporação da informação no contexto da prática clínica.

Os projetos deverão ser submetidos até dia 18 de fevereiro de 2021 e serão posteriormente analisados por um painel de revisores independentes, que irão selecionar os projetos para financiamento.

As bolsas estão inseridas no programa Pfizer Global Medical Grants (GMG), criado para apoiar iniciativas independentes, com o objetivo de melhorar os resultados em saúde e responder a necessidades médicas não satisfeitas, alinhadas com a estratégia científica da Pfizer.

Internato centrado na grelha de avaliação curricular: defeito ou virtude?
Editorial | Denise Cunha Velho
Internato centrado na grelha de avaliação curricular: defeito ou virtude?

Sou do tempo em que, na Zona Centro, não se conhecia a grelha de avaliação curricular, do exame final da especialidade. Cada Interno fazia o melhor que sabia e podia, com os conselhos dos seus orientadores e de internos de anos anteriores. Tive a sorte de ter uma orientadora muito dinâmica e que me deu espaço para desenvolver projectos e actividades que me mantiveram motivada, mas o verdadeiro foco sempre foi o de aprender a comunicar o melhor possível com as pessoas que nos procuram e a abordar correctamente os seus problemas. Se me perguntarem se gostaria de ter sabido melhor o que se esperava que fizesse durante os meus três anos de especialidade, responderei afirmativamente, contudo acho que temos vindo a caminhar para o outro extremo.