Dezembro volta a ser o Mês da Medicina Interna pela SPMI
DATA
02/12/2020 11:26:28
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



Dezembro volta a ser o Mês da Medicina Interna pela SPMI
Destacar a importância da especialidade médica de Medicina Interna e dos internistas, nos vários setores do exercício da medicina, em particular no SNS, é um dos principais objetivos da Sociedade Portuguesa de Medicina Interna (SPMI), através da promoção de dezembro como o Mês da Medicina Interna.

Segundo o presidente da SPMI, João Araújo Correia, “A Medicina Interna é a especialidade base do Sistema Nacional de Saúde no Hospital, correspondendo a 14% do total dos especialistas hospitalares. Tem do seu lado profissionais competentes, que desenvolvem as suas funções assistenciais em áreas diversos, nunca deixando de ver o doente como um todo. É por isso que os internistas são os que melhor podem aconselhar os hábitos de vida mais saudáveis, que promovem a saúde e evitam a doença”.

“Neste ano de pandemia, a Medicina Interna demonstrou ser uma especialidade-chave na resposta hospitalar a doentes Covid-19, tendo-se evitado a rutura do Serviço Nacional de Saúde. É importante relembrar que foram os Internistas que trataram a maioria dos doentes COVID de grau moderado a grave, nos Serviços de Urgência, nas Enfermarias, nos Cuidados Intermédios e até nos Cuidados Intensivos, na primeira vaga”, acrescenta.

A par de ser o Mês da Medicina Interna, o último mês do ano ficará também marcado pelo 69º aniversário da SPMI, comemorado no dia 14 de dezembro.

A Sociedade Portuguesa de Medicina Interna é filiada na Sociedade Internacional de Medicina Interna e membro da Federação Europeia de Medicina Interna, contando já com mais de 3.000 sócios, que lhe valeram o estatuto de maior Sociedade Científica Médica Portuguesa.

A mudança necessária
Editorial | Jornal Médico
A mudança necessária

Os últimos meses foram vividos por todos nós num contexto absolutamente anormal e inusitado.

Atravessamos tempos difíceis, onde a nossa resistência é colocada à prova em cada dia, realidade que é ainda mais vincada no caso dos médicos e restantes profissionais de saúde. Neste âmbito, os médicos de família merecem certamente uma palavra de especial apreço e reconhecimento, dado o papel absolutamente preponderante que têm vindo a desempenhar no combate à pandemia Covid-19: a esmagadora maioria dos doentes e casos suspeitos está connosco e é seguida por nós.

Mais lidas