Covid-19: Hospitais do SNS podem suspender atividades não urgentes em novembro
DATA
04/11/2020 11:35:35
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS




Covid-19: Hospitais do SNS podem suspender atividades não urgentes em novembro

O Ministério da Saúde determinou que os hospitais do Serviço Nacional de Saúde (SNS) podem suspender a atividade assistencial não urgente durante o mês de novembro, segundo um despacho com data de ontem, assinado pela ministra da Saúde.

O documento diz que os hospitais do SNS devem suspender durante o mês de novembro a atividade assistencial “que, pela sua natureza ou prioridade clínica, não implique risco de vida para os utentes, limitação do seu prognóstico e/ou limitação de acesso a tratamentos periódicos ou de vigilância”.

E acrescenta: “Compete às Administrações Regionais de Saúde (ARS) assegurar a coordenação da utilização da capacidade instalada nos hospitais da sua área geográfica e, sempre que necessário, tomar as medidas adequadas à articulação inter-regional, sem prejuízo das competências atribuídas a outras entidades”.

O despacho refere também que compete à Comissão de Acompanhamento da Resposta Nacional em Medicina Intensiva para a Covid-19 (CARNMI), em articulação com os hospitais do SNS, através dos respetivos Serviços de Medicina Intensiva, e com as ARS, "coordenar a gestão, a nível nacional, de camas de Medicina Intensiva de nível III e nível II, em função da evolução da pandemia Covid-19 e das capacidades hospitalares existentes a cada momento”.

Já ao Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) compete "apoiar o transporte inter-hospitalar de doentes críticos cuja transferência se revele necessária", pode ainda ler-se no documento.

A mudança necessária
Editorial | Jornal Médico
A mudança necessária

Os últimos meses foram vividos por todos nós num contexto absolutamente anormal e inusitado.

Atravessamos tempos difíceis, onde a nossa resistência é colocada à prova em cada dia, realidade que é ainda mais vincada no caso dos médicos e restantes profissionais de saúde. Neste âmbito, os médicos de família merecem certamente uma palavra de especial apreço e reconhecimento, dado o papel absolutamente preponderante que têm vindo a desempenhar no combate à pandemia Covid-19: a esmagadora maioria dos doentes e casos suspeitos está connosco e é seguida por nós.

Mais lidas