Covid-19: Maioria dos 4.114 profissionais de saúde infetados já recuperou
DATA
24/07/2020 17:27:25
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS


Covid-19: Maioria dos 4.114 profissionais de saúde infetados já recuperou

Mais de 4.100 profissionais foram infetados com a Covid-19 desde o início da pandemia, mas a maioria já recuperou, disse hoje a ministra da saúde.

Até à data, 4.114 profissionais foram infetados pelo novo coronavírus SARS-Cov-2, sendo que “os dados mais recentes referem que 3.463 já estariam recuperados”, disse Marta Temido na conferência de imprensa de atualização de informação relativa à Covid-19.

Sobre a questão do critério da testagem de profissionais de saúde, Marta Temido afirmou que é algo que as autoridades têm “acompanhado e que provavelmente estará ainda num processo de evolução”.

Presente na conferência, o subdiretor-geral da Saúde, Diogo Cruz, adiantou que está a ser preparada uma norma sobre política de testagem nacional, no qual os profissionais de saúde estão “obviamente incluídos”.

“Está em fase relativamente adiantada do seu desenvolvimento, mas quero dar nota que é uma política de testagem que estamos a planear já em consonância com o que é o plano de inverno”, disse Diogo Cruz.

A ideia será “fazer já uma política de testagem nacional que tenta perdurar o inverno, a menos que apareçam novas evidências científicas e, como nós sabemos, com a Covid-19 é bem provável que elas venham a aparecer”, sublinhou.

Diogo Cruz não avançou prazos de quando vai sair esta norma, dizendo apenas que está “numa fase muito adiantada do seu desenvolvimento” e espera que seja brevemente publicada.

O novo normal e a nova realidade – que alterações provocadas pela pandemia vieram para ficar?
Editorial | Jornal Médico
O novo normal e a nova realidade – que alterações provocadas pela pandemia vieram para ficar?
Acertar procedimentos e aperfeiçoar métodos de trabalho. Encontrar uma nova visão e adotar uma nova estratégia útil na nossa prática clínica quotidiana. Valorizar as unidades de saúde por estarem a dar as respostas adequadas e seguras é o mínimo que se exige, mas é urgente e inevitável um plano de investimento nos centros de saúde do Serviço Nacional de Saúde.

Mais lidas