Covid-19: Marta Temido garante que SNS tem capacidade para responder às necessidades
DATA
26/06/2020 16:43:29
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



Covid-19: Marta Temido garante que SNS tem capacidade para responder às necessidades

A ministra da Saúde, Marta Temido, afirmou hoje que a rede do Serviço Nacional de Saúde (SNS) tem capacidade para garantir o que dela se precisar, ressalvando que isso não pode, nem deve, fazer “baixar a guarda”.

Na conferência de imprensa de balanço da pandemia da Covid-19 em Portugal, a governante deixou uma mensagem de tranquilidade quanto ao sistema de saúde que dá e continuará a dar resposta às necessidades assistenciais.

“Mesmo que todos estejam cansados, os profissionais do SNS continuam a estar lá, a saúde pública está a fazer o seu trabalho, os hospitais estão a fazer o seu trabalho e os cuidados de saúde primários estão a fazer o seu trabalho”, reforçou.

Marta Temido disse que nem sempre têm explicações evidentes para a evolução das doenças, mas aos serviços de saúde e ao sistema de saúde, mais do que todo o resto, incumbe dar resposta às necessidades assistenciais e, isso, está a ser feito e continuará a ser feito.

Portugal tem, nesta data, 402 camas de enfermaria ocupadas com doentes com Covid-19 e 67 de cuidados intensivos, disse.

Nesta sequência, a ministra vincou que o país tem 21.500 camas hospitalares no SNS e 534 de cuidados intensivos polivalentes de adultos.

“A rede de SNS tem capacidade de garantir o que dela se precisar neste momento, mas isso não nos deve e não nos pode fazer baixar a guarda. Podem estar certos que não a baixaremos”, concluiu.

O novo normal e a nova realidade – que alterações provocadas pela pandemia vieram para ficar?
Editorial | Jornal Médico
O novo normal e a nova realidade – que alterações provocadas pela pandemia vieram para ficar?
Acertar procedimentos e aperfeiçoar métodos de trabalho. Encontrar uma nova visão e adotar uma nova estratégia útil na nossa prática clínica quotidiana. Valorizar as unidades de saúde por estarem a dar as respostas adequadas e seguras é o mínimo que se exige, mas é urgente e inevitável um plano de investimento nos centros de saúde do Serviço Nacional de Saúde.

Mais lidas