Candidaturas abertas para Bolsas de Investigação Médica em Oncologia da LPCC
DATA
04/05/2020 10:24:19
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS




Candidaturas abertas para Bolsas de Investigação Médica em Oncologia da LPCC

Estão abertas, até dia 22 de maio, as candidaturas para as Bolsas de Investigação Médica, na área do Cancro Infantil, lançadas pela Liga Portuguesa Contra o Cancro (LPCC), em conjunto com os Lions Portugal.

A submissão da candidatura é feita no site da LPCC, no qual se encontra um formulário para o efeito, e os resultados da avaliação do júri serão revelados a partir de dia 9 de junho.

A pertinência, a relevância e o impacto do projeto, juntamente com o “nível da investigação e o rigor científico” constituem os critérios que serão avaliados pelos jurados da iniciativa.

Para o presidente da LPCC, Vitor Rodrigues, estas bolsas de investigação médica são “mais um pequeno passo da luta contra o cancro”.

“Trata-se de mais um reforço do compromisso da LPCC na investigação científica em Oncologia, desta vez na área do cancro infantil que, apesar da sua baixa incidência (relativamente ao total de número de casos na população), merece uma atenção especial, seja pelas características específicas deste cancro, pela idade dos doentes, ou pela enorme carga emocional que acarreta nas famílias”, explica.

Já a presidente dos Lions de Portugal, Isabel Moreira, sublinha a “importância do trabalho em rede em cooperação com instituições com trabalho amplamente reconhecido na área”.

“O combate ao cancro infantil através do apoio à investigação, tem sido um dos grandes objetivos dos Lions que, anualmente, vêm atribuindo bolsas, indo mais além este ano ao conferir uma dimensão nacional ao projeto com a assinatura de um protocolo de colaboração com a LPCC”, sustenta.

As bolsas de investigação resultam de um protocolo assinado, no início do ano, entre a LPCC e os Lions Portugal, no valor total de 27 mil euros.

É urgente desburocratizar os Cuidados de Saúde Primários
Editorial | Jornal Médico
É urgente desburocratizar os Cuidados de Saúde Primários

Neste momento os CSP encontram-se sobrecarregados de processos burocráticos inúteis, duplicados, desnecessários, que comprometem a relação médico-doente e que retiram tempo para a atividade assistencial.