×

Alerta

JUser: :_load: Não foi possível carregar o utilizador com o ID: 34880
Hospital de Braga vai universalizar 35 horas semanais e atualizar salários
DATA
11/02/2020 12:35:25
AUTOR
ETIQUETAS



Hospital de Braga vai universalizar 35 horas semanais e atualizar salários

O Hospital de Braga está a terminar o procedimento de adesão aos acordos coletivos de trabalho, para universalizar o horário de 35 horas semanais e garantir as atualizações salariais. O derradeiro objetivo é, segundo o comunicado do hospital, “garantir a igualdade” entre os profissionais, valorizando-os e motivando-os.

O anúncio foi feito ontem pelo Conselho de Administração, que diz já estarem previstos, no orçamento de 2020, os impactos financeiros decorrentes, “quer das atualizações salariais, quer da necessidade de recursos necessários com a passagem do horário normal de trabalho para as 35 horas semanais”.

Paralelamente, o Conselho de Administração decidiu aplicar o decreto-lei que estabelece especificações do regime de trabalho dos profissionais de saúde e respetivas remunerações.

Em relação aos enfermeiros, o hospital referiu que está a decorrer a fase final do processo de atribuição de pontos para avaliação de desempenho dos profissionais. Além disso, adiantou que Decreto-Lei nº71/2019, de 27 maio, que altera o regime da carreira especial de enfermagem e o da carreira de enfermagem nas entidades públicas empresariais e nas parcerias em saúde, já está “a ser aplicado”, tendo os enfermeiros transitado para a nova estrutura de categorias da carreira.

Já os trabalhadores de limpeza serão integrados na categoria dos assistentes operacionais, implicando uma base remuneratória de 635,07 euros, em consonância com o decreto-lei sobre esta matéria no respeitante à administração pública. De acordo com o comunicado, isto representa uma atualização de 35 euros.

O Hospital de Braga foi gerido pelo Grupo Mello Saúde até 31 de agosto de 2019, data a partir da qual a gestão passou para a esfera pública.

Urgências no SNS – só empurrar o problema não o resolve
Editorial | Gil Correia
Urgências no SNS – só empurrar o problema não o resolve

É quase esquizofrénico no mesmo mês em que se discute a carência de Médicos de Família no SNS empurrar, por decreto, os doentes que recorrem aos Serviços de Urgência (SU) hospitalares para os Centros de Saúde. A resolução do problema das urgências em Portugal passa necessariamente pelo repensar do sistema, do acesso e de formas inteligentes e eficientes de garantir os cuidados na medida e tempo de quem deles necessita. Os Cuidados de Saúde Primários têm aqui, naturalmente, um papel fundamental.