Impacto da dermatite atópica severa em destaque no EADV 2019
DATA
25/10/2019 10:51:32
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS


Impacto da dermatite atópica severa em destaque no EADV 2019

No decorrer da sessão “Moderate-to-severe atopic dermatities: understanding its full impact on families”, promovida pela Sanofi no Congresso EADV, o dermatologista do Hospital CUF Descobertas, Pedro Mendes Bastos, salientou a importância dos Patient Reported Outcomes (PRO) para a prática clínica no tratamento da dermatite atópica. Felicitou ainda o destaque dado à doença, tantas vezes associada a comorbilidades, que impacta a qualidade de vida dos indivíduos afetados.

Conheça mais sobre a forma como a dermatite atópica afeta a vida destes indivíduos e de que forma é que os PRO podem auxiliar os dermatologistas e demais profissionais de saúde a tratar o doente e não só a doença, assistindo ao vídeo que se segue.

A presidente da Associação Portuguesa de Dermatite Atópica (ADERMAP), Joana Camilo, declarou ao Jornal Médico que é imperativo criar uma resposta multidisciplinar para responder às necessidades do doente com dermatite atópica, as quais não são apenas físicas.

Durante a sessão “Moderate-to-severe atopic dermatities: understanding its full impact on families”, Joana Camilo participou no debate sobre a doença e alertou para o facto de haver “um grande percurso a percorrer em termos de informação e sensibilização”, embora seja uma doença comum.

Descubra mais sobre os desafios que a doença representa para os doentes e a importância de estes estarem representados neste congresso na procura de cooperação com a comunidade científica. Assista ao vídeo que se segue.

DESconfinar sem DISconfinar: Um desafio para inovar e aproveitar a oportunidade
Editorial | Rui Nogueira, Médico de Família e presidente da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar
DESconfinar sem DISconfinar: Um desafio para inovar e aproveitar a oportunidade
Depois de três meses de confinamento é necessário aceitarmos a prudência de DES”confinar sem DISconfinar. Não vamos querer “morrer na praia”! As aprendizagens da pandemia Covid-19 são uma ótima oportunidade para acertar procedimentos e aperfeiçoar métodos de trabalho. O estado de emergência e o estado de calamidade ensinaram-nos muito! É necessário desconfinar o centro de saúde com uma nova visão e reinventar o conceito com unidades de saúde aprendentes e inovadoras.

Mais lidas