ICBAS cria escola de formação em suporte básico de vida e desfibrilhação externa
DATA
15/10/2019 10:06:03
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS


ICBAS cria escola de formação em suporte básico de vida e desfibrilhação externa

O Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar (ICBAS) criou, em parceria com o Conselho Português de Ressuscitação, a Escola de Suporte Básico de Vida e de Desfibrilhação Automática Externa que visa "formar e capacitar" pessoal docente e não docente.

"Uma das prioridades da direção do ICBAS era formar todos os funcionários da instituição em suporte básico de vida e desfibrilhação automática externa", afirmou hoje, em declarações à agência Lusa, o diretor do ICBAS.

Segundo Henrique Cyrne Carvalho, esta escola surge da necessidade de "criar metodologias" para que todo o processo, desde manobras de socorro à utilização de equipamentos como o desfibrilhador, seja "feito de forma segura".

"As paragens cardiocirculatórias podem acontecer na rua ou noutro sítio, portanto, é preciso assegurar que, até que chegue o suporte avançado de vida, qualquer um de nós conhece suficientemente os processos de manobra e utilização do equipamento, e assim permitir que o doente é tratado de forma diferenciada", frisou.

O diretor do ICBAS, que frequentou, há cerca de 25 anos, o primeiro curso de formadores em Suporte Avançado e Vida em Portugal (organizado pelo UK Resuscitation Council), salientou também a importância de "criar redes de formadores" nestas duas áreas.

"A nossa intenção é formar primeiro o nosso pessoal docente e não docente e, como tudo cresce e a rede se vai alargando, o objetivo é depois exteriorizar a nossa formação às outras unidades orgânicas da Universidade do Porto", afirmou, adiantando existirem já outras instituições interessadas em receber o projeto.

À Lusa, Henrique Cyrne Carvalho adiantou que, futuramente, a intenção do ICBAS é "chegar" às escolas do ensino secundário, mais concretamente, aos alunos do 10º, 11º e 12º ano, mas também professores e restantes funcionários.

A assinatura do protocolo, que celebra o arranque deste projeto e junta o ICBAS e o Conselho Português de Ressuscitação, está agendada para quarta-feira, às 12h00, sendo que no mesmo dia, arranca o primeiro curso formativo.

De acordo com o diretor do ICBAS, o curso, que poderá durar entre um ou dois dias (mediante o tema), vai seguir o programa "sistemático" e "padronizado" de certificação nestas duas áreas.

"Parece-me que este projeto poderá ajudar a materializar uma divulgação efetiva destas competências em todas as unidades orgânicas da Universidade do Porto e constituir desta forma o conceito de 'Universidade do Porto, a Universidade que protege a vida'", concluiu.

MGF 2020-30: Desafios e oportunidades
Editorial | Gil Correia
MGF 2020-30: Desafios e oportunidades

Em março de 2020 vivemos a ilusão de que algumas semanas de confinamento nos libertariam para um futuro sem Covid-19. No resto do ano acreditámos que em 2021 a realidade voltaria. Mas, por definição, a crise é uma mudança de paradigma. O normal mudou. Importa que a Medicina Geral e Familiar se adapte e aproveite as oportunidades criadas. A Telemedicina, a desburocratização e um ambiente de informação, amigável flexível e unificado são áreas que me parecem fulcrais na projeção da MGF no futuro.

Mais lidas