Hospital de Barcelos investe mais de 260 mil euros em requalificação da Urgência
DATA
18/06/2019 11:33:51
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS




Hospital de Barcelos investe mais de 260 mil euros em requalificação da Urgência

O Hospital de Barcelos vai investir mais de 260 mil euros na requalificação e ampliação do Serviço de Urgência, uma intervenção que estará concluída num prazo de seis meses, avançou o presidente do conselho de administração (CA) da instituição, Joaquim Barbosa.

Em declarações à Lusa, o responsável referiu que a Urgência funciona num espaço “muito reduzido”, sendo o objetivo da intervenção, já em curso, melhorar as condições quer para os utentes quer para os profissionais de saúde. “A Urgência funciona num espaço construído para claustros, apresentando por isso limitações estruturais que não é possível ultrapassar, mas vamos tentar minorar as dificuldades e constrangimentos”, explicou.

Com as obras, a área de atendimento e permanência dos utentes ao cuidado da Medicina Interna aumentará a sua capacidade de cinco para nove macas. Haverá também intervenções na casa mortuária e na urgência geral. “As obras decorrerão em simultâneo com o funcionamento normal do Serviço de Urgência”, sublinhou Joaquim Barbosa.

Em nota publicada na sua página de Facebook, o Hospital de Barcelos admite que a Urgência é o seu “calcanhar de Aquiles”.

“Um espaço construído para claustros muito dificilmente será algum dia um Serviço de Urgência ideal”, refere, reconhecendo que o hospital não oferece “as condições que os profissionais “merecem” para trabalhar nem as condições “mais adequadas” para os doentes. “Infelizmente, não estamos a construir um hospital novo, nem sequer um novo Serviço de Urgência. Estamos a melhorar o que existe, na certeza que o resultado final será ainda aquém do que a população precisa e os profissionais merecem”, sublinha o presidente do CA, acrescentando que as “sucessivas promessas” de construção de um novo hospital em Barcelos “retiraram prioridade na melhoria das condições existentes” no atual.

“Esperemos que ninguém entenda que as obras significam que se desistiu de lutar por um novo hospital. Aqui não fazemos política, tratamos doentes”, sublinha Joaquim Barbosa.

A funcionar num edifício propriedade da Santa Casa da Misericórdia de Barcelos, o hospital dá resposta a 154 mil habitantes daquele concelho e de Esposende.

COVID e não-COVID: Investimentos para resolver novos e velhos problemas
Editorial | Rui Nogueira, Médico de Família e presidente da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar
COVID e não-COVID: Investimentos para resolver novos e velhos problemas

Acertar procedimentos e aperfeiçoar métodos de trabalho. O estado de emergência terminou e o estado de calamidade passou, mas o problema de saúde mantem-se ativo. É urgente encontrar uma visão inovadora e adotar uma nova estratégia. As unidades de saúde precisam de encontrar respostas adequadas e seguras.

Mais lidas