Jornal Médico Grande Público

"Falar de Parkinson" é dar voz a 10 milhões de pessoas
DATA
11/04/2019 15:08:52
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS


"Falar de Parkinson" é dar voz a 10 milhões de pessoas

Fazer-se ouvir e perceber são dificuldades que muitas pessoas com Parkinson enfrentam no dia-a-dia.

O novo filme da Bial visa dar-lhes voz. “Speak up for Parkinson’s” [“Falar de Parkinson”] insere-se numa campanha de âmbito mundial, lançada pela Bial nas redes sociais e iniciada há três anos, que visa aumentar o conhecimento sobre a realidade em que vivem algumas pessoas com a doença de Parkinson.

As alterações da voz são uma das consequências da progressão da doença de Parkinson, podendo ser exacerbadas em contexto de interação social. Este é o tema que serve de metáfora à nova campanha sobre a Doença de Parkinson e que vai ser lançado no Dia Mundial dedicado àquela doença, assinalado a 11 de abril.

O filme retrata uma doente real com a Doença de Parkinson e com dificuldades na voz, e assenta na ideia de que quando várias vozes falam em uníssono a mensagem é mais poderosa e consegue chegar mais longe. A Bial acredita que os doentes não devem ser definidos pela doença e que a união de várias vozes às das pessoas com Parkinson contribui para dar-lhes poder, sensibilizando ainda para as necessidades, desafios, frustrações e dificuldades de quem vive e convive com a doença.

A Doença de Parkinson é uma doença neurodegenerativa progressiva que afeta células nervosas no cérebro responsáveis pelo controlo do movimento. À medida que a doença avança, tarefas diárias comuns como falar ao telefone, fazer um pedido num restaurante, ou simplesmente expressar uma ideia podem tornar-se verdadeiros desafios. A complexidade na realização destas ações provoca ansiedade e poderá levar ao isolamento. Nos casos mais severos, há um sentimento de impotência que pode conduzir à depressão.

Este novo filme reúne as vozes de quem convive diariamente com os doentes porque, ainda que haja conhecimento sobre o que é a doença, há ainda um enorme desconhecimento sobre as dificuldades, nomeadamente de ordem social, que os doentes enfrentam no dia-a-dia. Conhecer melhor as consequências desta doença poderá levar a uma maior tolerância e potenciar um contributo relevante na melhoria da qualidade de vida das mais de 10 milhões de pessoas que vivem com Parkinson no mundo inteiro.

Para o diretor do departamento global de Parkinson da Bial, “estes doentes ainda não têm uma voz suficientemente forte. A maior parte das pessoas ainda não sabe o suficiente sobre esta condição de saúde. Pretendemos com esta campanha quebrar o tabu, e para tal precisamos de todas as vozes possíveis para ajudar doentes e cuidadores. Pelo seu papel de proximidade, os cuidadores, sejam familiares, amigos ou profissionais de saúde, estão numa situação privilegiada para esclarecer as limitações que a doença impõe. Este é o terceiro ano consecutivo em que procuramos sensibilizar todas as pessoas para a Doença de Parkinson. Criámos uma campanha emotiva, porque a vida é feita de emoções, mas também honesta, porque realista, e esperamos que chegue assim a muitos corações e ajude a perceber melhor o que é realmente viver com esta doença tão debilitante”.

Saúde Pública

news events box

Mais lidas