Jornal Médico Grande Público

SyncRGB-FLIM: a nova técnica para melhorar a imagem biomédica
DATA
25/03/2019 10:14:28
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



SyncRGB-FLIM: a nova técnica para melhorar a imagem biomédica

Um novo método de imagem biomédica para diagnóstico celular denominado SyncRGB-FLIM acaba de ser desenvolvido em colaboração entre o INL - Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia, a Universidade do Porto e a empresa Sphere Ultrafast Photonics.

O SyncRGB-FLIM permite uma observação sincronizada de etiquetas fluorescentes com emissão visível no Vermelho, Verde e Azul (RGB, em inglês) ao mesmo tempo – estando esta capacidade refletida no nome "SyncRGB". Os diagnósticos celulares são usados regularmente para apoiar as escolhas de terapia médica para os principais problemas de saúde enfrentados atualmente em todo o Mundo, tais como o cancro e as doenças neurodegenerativas. O SyncRGB-FLIM apresenta uma combinação inovadora de tecnologias fotónicas de ponta para permitir, de forma fácil, obter imagens clínicas e médicas rápidas e avançadas. O objetivo da investigação e desenvolvimento foi o de reduzir ao mínimo a necessidade de apoio especializado nesta técnica, para uso diário em hospitais.

O laser ultrarrápido especificamente desenhado e construído para este novo método SyncRGB-FLIM emite luz em impulsos muito curtos, com durações de apenas alguns fentosegundos (um milionésimo de um bilionésimo de segundo!). De acordo com o famoso princípio de Heisenberg, quanto menor for a duração do impulso de luz, mais cores ela contém. O laser ultrarrápido usado nesta investigação é tão rápido que emite simultaneamente luz coerente que varia do infravermelho ao visível. O ajuste de cores exigido pelos lasers tradicionais não é necessário neste caso, resultando em imagens mais rápidas, mais precisas e minimamente invasivas, conseguindo obter a informação necessária sem danificar a amostra.

Após a excitação das amostras biológicas com o laser ultrarrápido especial, todas as etiquetas emitem sinais ao mesmo tempo. Os sinais são todos gravados com um único detetor pelo que existe a necessidade de distinguir a origem dos sinais. Para separar os sinais e distinguir os diferentes tons RGB é utilizada uma propriedade específica das etiquetas. Essa propriedade é chamada tempo de vida da fluorescência e requer a deteção do sinal com resolução temporal numa escala de tempo rápida, na ordem dos nanossegundos (um bilionésimo de segundo). Este método de deteção faz parte da técnica SyncRGB-FLIM, indicada pelas letras FLIM, do acrónimo inglês para Microscopia de Tempo de Vida de Fluorescência. O próximo passo para o novo método SyncRGB-FLIM é apresentar uma solução totalmente pronta a usar, que permita levar o sistema do laboratório para um ambiente médico real, através uma tecnologia nova e extremamente capaz para diagnósticos médicos celulares e de tecidos em clínicas e hospitais.

Saúde Pública

news events box

Mais lidas