Abertas candidaturas para Bolsa de Investigação em Mieloma Múltiplo
DATA
06/02/2019 17:32:24
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS


Abertas candidaturas para Bolsa de Investigação em Mieloma Múltiplo

A Associação Portuguesa Contra a Leucemia (APCL) e a Sociedade Portuguesa de Hematologia, com o apoio da Amgen Biofarmacêutica, abrem as candidaturas para a 3ª Edição da Bolsa de Investigação em Mieloma Múltiplo. Uma bolsa, no valor de 10.000 euros, que procura impulsionar a investigação científica e/ou epidemiológica para uma doença hemato-oncológica rara cuja taxa de mortalidade é de aproximadamente 600 portugueses por ano.

Em Portugal, um quarto dos doentes com mieloma múltiplo em recaída morre um ano após o diagnóstico, por isso, esta doença continua a requer tratamentos mais efetivos e/ou mais seguros, que permitam aos doentes atrasar a progressão da doença e aumentar o tempo de sobrevivência geral e a qualidade de vida.

A Bolsa de Investigação em Mieloma Múltiplo, dirigida a investigadores nacionais ou estrangeiros a desenvolver projetos em instituições portuguesas, foi criada com o intuito de aumentar o conhecimento sobre esta doença, o diagnóstico, o tratamento, a monitorização dos doentes, a qualidade de vida e/ou o custo e carga da doença em Portugal.

Segundo o presidente da APCL, Manuel Abecassis, “esta bolsa representa um estímulo para os investigadores que trabalham na área do mieloma em instituições nacionais contribuindo assim para a melhoria da sobrevivência e da qualidade de vida dos doentes com mieloma.”

A presidente da SPH, Aida Botelho de Sousa, refere também que “a SPH junta-se a esta iniciativa com o intuito de continuar para melhorar o prognóstico desta doença, ainda incurável na larga maioria dos doentes, mas na qual os avanços têm permitido um maior número de anos vividos sem tratamento e uma grande diminuição dos sintomas associados à doença”.

O Diretor-Geral da Amgen, Tiago Amieiro, afirma que “a Amgen esta empenhada a continuar a investir na investigação do Mieloma Múltiplo em Portugal e assim contribuir para continua melhoria da vida dos doentes”.

Os projetos submetidos irão ser avaliados por um júri idóneo, composto por peritos de reconhecido mérito em investigação científica e experiência profissional e/ou académica em hemato-oncologia em Portugal e/ou internacional, em particular no Mieloma Múltiplo, nomeado pela APCL e SPH.

MGF 2020-30: Desafios e oportunidades
Editorial | Gil Correia
MGF 2020-30: Desafios e oportunidades

Em março de 2020 vivemos a ilusão de que algumas semanas de confinamento nos libertariam para um futuro sem Covid-19. No resto do ano acreditámos que em 2021 a realidade voltaria. Mas, por definição, a crise é uma mudança de paradigma. O normal mudou. Importa que a Medicina Geral e Familiar se adapte e aproveite as oportunidades criadas. A Telemedicina, a desburocratização e um ambiente de informação, amigável flexível e unificado são áreas que me parecem fulcrais na projeção da MGF no futuro.

Mais lidas