Ministra e Maria de Belém debatem futura Lei de Bases da Saúde
DATA
18/12/2018 10:16:05
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS




Ministra e Maria de Belém debatem futura Lei de Bases da Saúde

O PS vai promover esta terça-feira um debate sobre a futura Lei de Bases da Saúde, no qual irão participar a ministra da Saúde, Marta Temido, e a coordenadora do grupo de trabalho nomeado pelo Governo para esta reforma, Maria de Belém Roseira.

O debate está integrado na iniciativa “PS de portas abertas” que terá lugar na sede nacional deste partido, em Lisboa, às 18:00, onde é também esperada a presença do ex-ministro da Saúde Adalberto Campos Fernandes.

A mesa redonda será moderada pela deputada e porta-voz do PS, Maria Antónia Almeida Santos, e contará com a intervenção do médico e sindicalista da FNAM Mário Jorge e da antiga bastonária da Ordem dos Enfermeiros Maria Augusto de Sousa.

“Queremos que se faça um debate completamente livre e sem quaisquer constrangimentos em termos de análise e de discussão. Vamos fazê-lo agora antes de acabar este ano e de se iniciar o processo de debate sobre a futura Lei de Bases da Saúde na Assembleia da República”, disse a porta-voz do PS Maria Antónia Almeida Santos, citada pela agência Lusa.

Do ponto de vista político, os socialistas entendem que a futura lei de bases “deverá ser o mais consensual possível, para que as pessoas se revejam nela e para que perdure no tempo”.

Internato centrado na grelha de avaliação curricular: defeito ou virtude?
Editorial | Denise Cunha Velho
Internato centrado na grelha de avaliação curricular: defeito ou virtude?

Sou do tempo em que, na Zona Centro, não se conhecia a grelha de avaliação curricular, do exame final da especialidade. Cada Interno fazia o melhor que sabia e podia, com os conselhos dos seus orientadores e de internos de anos anteriores. Tive a sorte de ter uma orientadora muito dinâmica e que me deu espaço para desenvolver projectos e actividades que me mantiveram motivada, mas o verdadeiro foco sempre foi o de aprender a comunicar o melhor possível com as pessoas que nos procuram e a abordar correctamente os seus problemas. Se me perguntarem se gostaria de ter sabido melhor o que se esperava que fizesse durante os meus três anos de especialidade, responderei afirmativamente, contudo acho que temos vindo a caminhar para o outro extremo.