Congresso das Farmácias debate financiamento e inovação na Saúde
DATA
16/10/2018 12:14:30
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS


Congresso das Farmácias debate financiamento e inovação na Saúde

A 13ª edição do Congresso das Farmácias, que decorre de 18 a 20 de outubro, no Centro de Congressos de Lisboa, vai dedicar-se à discussão do financiamento, inovação e promoção da saúde.

O evento, organizado pela Associação Nacional das Farmácias (ANF), vai reunir mais de três mil participantes num fórum de debate com especialistas de áreas relevantes para o futuro das farmácias e da Saúde.

“Convidámos os melhores especialistas e os protagonistas das melhores práticas para partilharem as suas experiências, com vista à consolidação do caminho que as farmácias portuguesas têm de percorrer para serem, cada vez mais, a rede de cuidados de saúde primários mais valorizada pelos portugueses”, explica o presidente da ANF, Paulo Cleto Duarte.

A sessão de abertura, agendada para dia 19, às 11:45, será presidida pelo ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, e contará ainda com a intervenção de Paulo Cleto Duarte, da bastonária da Ordem dos Farmacêuticos, Ana Paula Martins, e do presidente do Pharmaceutical Group of the European Union, Jesús Aguilar-Santamaria.

Paralelamente ao congresso irá decorrer mais uma edição da Expofarma, subordinada ao tema “Valorizar a Saúde”.

Consulte o programa completo aqui.

Internato centrado na grelha de avaliação curricular: defeito ou virtude?
Editorial | Denise Cunha Velho
Internato centrado na grelha de avaliação curricular: defeito ou virtude?

Sou do tempo em que, na Zona Centro, não se conhecia a grelha de avaliação curricular, do exame final da especialidade. Cada Interno fazia o melhor que sabia e podia, com os conselhos dos seus orientadores e de internos de anos anteriores. Tive a sorte de ter uma orientadora muito dinâmica e que me deu espaço para desenvolver projectos e actividades que me mantiveram motivada, mas o verdadeiro foco sempre foi o de aprender a comunicar o melhor possível com as pessoas que nos procuram e a abordar correctamente os seus problemas. Se me perguntarem se gostaria de ter sabido melhor o que se esperava que fizesse durante os meus três anos de especialidade, responderei afirmativamente, contudo acho que temos vindo a caminhar para o outro extremo.