CHBM adquire novos equipamentos para Cardiologia
DATA
30/07/2018 10:44:33
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



CHBM adquire novos equipamentos para Cardiologia

O Centro Hospitalar Barreiro-Montijo (CHBM) adquiriu dois novos equipamentos para o serviço de Cardiologia, num investimento de cerca de 38 mil euros.

“Os doentes internados neste serviço dispõem agora de uma Central de Monitorização com quatro monitores e três telemetrias, disponível nas enfermarias, e de uma Central de Monitorização para a Unidade de Cuidados Diferenciados de Cardiologia (UCDC), que veio substituir a existente nesta unidade”, refere o CHBM, em comunicado.

O CHBM acrescenta que continua a apostar na “aquisição de novos equipamentos e modernização de outros já existentes”.

“A Central de Monitorização com quatro monitores e três telemetrias é uma solução vantajosa para os doentes cardíacos que necessitam de mobilidade e acompanhamento constante. Os doentes podem deslocar-se no serviço continuando sempre a serem monitorizados. Este aparelho permite monitorizar em simultâneo três doentes”, explica.

Já a Central de Monitorização para a Unidade de Cuidados Diferenciados de Cardiologia é um equipamento com uma tecnologia mais atual, permitindo uma melhor classificação das arritmias.

“Dispõe de uma impressora compatível que possibilita documentar os eventos, sobretudo na abordagem das disritmias”, salienta.

O serviço de Cardiologia do CHBM dispõe de 13 camas de internamento na enfermaria e de seis camas na UCDC. Em 2017 tratou 521 doentes internados na enfermaria e 473 internados na UCDC.

O CHBM anunciou, ainda, que Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) foi uma das 33 unidades que recebeu um Compressor Cardíaco Externo.

“Com este novo compressor cardíaco externo a equipa da VMER terá capacidade de aplicar de forma automática, contínua e segura compressões torácicas a doentes em paragem cardiorrespiratória, não só no local da ocorrência, mas também no transporte até ao Hospital”, conclui. 

MGF 2020-30: Desafios e oportunidades
Editorial | Gil Correia
MGF 2020-30: Desafios e oportunidades

Em março de 2020 vivemos a ilusão de que algumas semanas de confinamento nos libertariam para um futuro sem Covid-19. No resto do ano acreditámos que em 2021 a realidade voltaria. Mas, por definição, a crise é uma mudança de paradigma. O normal mudou. Importa que a Medicina Geral e Familiar se adapte e aproveite as oportunidades criadas. A Telemedicina, a desburocratização e um ambiente de informação, amigável flexível e unificado são áreas que me parecem fulcrais na projeção da MGF no futuro.

Mais lidas