“Alguma pressão sobre as administrações dos hospitais é uma coisa boa”
DATA
24/11/2017 10:36:59
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS

“Alguma pressão sobre as administrações dos hospitais é uma coisa boa”

O administrador do Instituto Português de Oncologia de Lisboa lamentou que se tenham perdido os mecanismos de prestação de contas e de controlos trimestrais dos hospitais que ocorriam nos tempos da ‘troika’ e também antes.

Numa conferência em Lisboa promovida pela Associação da Indústria Farmacêutica (Apifarma), Francisco Ramos considerou que nos últimos tempos se têm perdido “os hábitos de prestação de contas” ou que pelo menos não ocorrem de modo “tão persuasivo”.

O administrador e antigo secretário de Estado da Saúde considerou que “alguma pressão sobre as administrações dos hospitais é uma coisa boa” e que “põe pressão sobre o financiamento do sistema”.

As declarações de Francisco Ramos foram proferidas durante um debate sobre financiamento e acesso dos portugueses à inovação em saúde organizado pela Apifarma e que juntou algumas dezenas de especialistas em Lisboa.

Francisco Ramos lamentou que os hospitais não tenham maior autonomia de gestão, mas considerou que, não existindo, devia haver um mecanismo de controlo de contas mais persuasivo.

Governação Clínica
Editorial | Joana Romeira Torres
Governação Clínica

O Serviço Nacional de Saúde em Portugal foi criado e cresceu numa matriz de gestão napoleónica, baseada numa forte regulamentação, hierarquização e subordinação ao poder executivo, tendo como objeto leis e regulamentos para reger a atividade de serviços públicos no geral, existindo ausência de regulamentação relativa à sua articulação com os serviços sociais e económicos.

Mais lidas