Displaying items by tag: herpes zoster

Recentemente o especialista de Cardiologia e presidente da Sociedade Portuguesa de Geriatria e Gerontologia, Manuel Carrageta tomou a decisão, após conversa com o seu médico assistente, de se vacinar contra o herpes zoster. A primeira vacina recombinante com adjuvante, já disponível em Portugal com uma posolgia de duas doses, está indicada para adultos com idade igual ou superior a 50 anos e, é também uma proteção contra a nevralgia pós-herpética (NPH), a complicação mais comum do herpes zoster. O Jornal Médico conversou com o especialista sobre a relevância da vacinação mesmo na idade adulta, para superar o declínio natural da imunidade.

Published in Entrevistas
Tagged under

Um novo estudo observacional, realizado pela GSK, refere que pessoas com 50 ou mais anos que tiveram COVID-19 têm um risco 15% maior de desenvolver herpes zoster, também conhecido por zona. Esta é uma erupção cutânea que pode levar a graves complicações, nomeadamente, a neuralgia pós-herpética. O estudo foi publicado no Open Forum Infectious Diseases da Sociedade de Doenças Infecciosas da América.

Published in Atualidade
Tagged under
Internato centrado na grelha de avaliação curricular: defeito ou virtude?
Editorial | Denise Cunha Velho
Internato centrado na grelha de avaliação curricular: defeito ou virtude?

Sou do tempo em que, na Zona Centro, não se conhecia a grelha de avaliação curricular, do exame final da especialidade. Cada Interno fazia o melhor que sabia e podia, com os conselhos dos seus orientadores e de internos de anos anteriores. Tive a sorte de ter uma orientadora muito dinâmica e que me deu espaço para desenvolver projectos e actividades que me mantiveram motivada, mas o verdadeiro foco sempre foi o de aprender a comunicar o melhor possível com as pessoas que nos procuram e a abordar correctamente os seus problemas. Se me perguntarem se gostaria de ter sabido melhor o que se esperava que fizesse durante os meus três anos de especialidade, responderei afirmativamente, contudo acho que temos vindo a caminhar para o outro extremo.